Categorias
Sacramento da Comunhão

Bispo confirma que nenhum fiel pode ser proibido comungar na boca

 

Após fiel reclamar de ter seu direito de receber a Sagrada Comunhão diretamente na boca negado, o bispo respondeu que em nenhum momento a comunhão na boca pode ser negada, nem mesmo na pandemia.

Diante do protesto de um fiel da diocese de Ciudad Real pela recusa de um padre em dar a comunhão na boca a ele e sua esposa, o bispo da diocese castelhana-La Mancha, Dom Gerardo Melgar, se desculpa, Ele confirma que tem o direito de receber a comunhão desta forma e informa que falou com o reitor do templo para que isso não se repita.

Carta do Secretário Chanceler da diocese de Ciudad Real

Diocese de Ciudad Real
Ciudad Real, 20 de agosto de 2020

Querido no Senhor:

Tenho o prazer de acusar o recebimento da carta dirigida ao Exmo. e Rvdmo. Senhor Gerardo Melgar Viciosa, Bispo de Ciudad Real-Prior das Ordens Militares de Santiago, Calatrava, Alcántara e Montesa, em 29 de julho, na qual declara que seus direitos como fiel da Igreja foram violados por terem sido negados, à tua esposa e a ti, a comunhão na boca, na Eucaristia celebrada no dia 26 de julho de 2020, às 10h30, na Igreja de San Ignacio (Salesianos) de Ciudad Real.

Sua Excelência o Reverendíssimo confiou-me a tarefa de exprimir as suas desculpas por ter produzido tal situação, ao mesmo tempo que se comunicou com o reitor do referido templo para que não volte a acontecer algo semelhante, porque, embora seja verdade, que a situação A emergência sanitária em que nos encontramos aconselha que os fiéis recebam a comunhão na mão, como medida de segurança para evitar a propagação do Covid-19, em nenhum momento pode ser proibido fazê-lo pela boca, se o fiel desejar recebê-la desta forma.

Leia também:
Vaticano: É proibido impedir comunhão na boca, mesmo que seja para se evitar epidemias

Aproveito a oportunidade para expressar a vocês o testemunho de minha consideração e estima em Cristo.

Assinado:
Juan Carlos Fernández de Simón Soriano
Chanceler-Secretário-Geral do Bispado de Ciudad Real

Prot. No. 520/0262

Traduzido de Infocatólica

Leia também:
AS TERRÍVEIS CONSEQUÊNCIAS DA COMUNHÃO NA MÃO