Categorias
Análise e Opinião

Padre José Eduardo alerta sobre a importância do “Escândalo pro Bem”

A declaração de fé feita pela atriz Cássia Kis deixou a internet em polvorosa. Se por um lado essa profissão de fé pública, acompanhada pela defesa da vida e luta contra o aborto, feita de modo tão entusiasmado por uma celebridade, foi um grande sinal de esperança para os cristãos, especialmente católicos, por outro lado estremeceu o meio artístico, foi um escândalo!

Leia o comentário do Padre José Eduardo sobre este importante acontecimento…

A palavra escândalo é praticamente uma transliteração latina da palavra grega “skándalon”, que significa simplesmente “pedra de tropeço”. No Evangelho, indica o ato de fazer alguém pecar, cair.

Aos poucos, a palavra foi ganhando significados mais difusos, como o de um acontecimento chocante que ofende os sentimentos morais vigentes numa sociedade qualquer.

Numa cultura crescentemente pagã, como a nossa, em que os valores cristãos são considerados contra-valores e a santidade é praticamente ofensiva para o comodismo no pecado que predomina sobre a maior parte dos corações dessa geração impenitente, não vai ter outro jeito: teremos de escandalizar!

Trata-se do “escândalo pro bem”, ou seja, de uma atitude ostensiva de virtude que provoque uma “queda pra cima”. Os homens do nosso tempo precisam ser chocados, têm de ser confrontados com testemunhos heróicos que os façam “cair no sobrenatural”.

Esses dias, vendo o testemunho da Cássia Kiss no “Encontro”, percebi quanto bem provocam esses “escândalos pro bem”, quando humildemente um cristão vai e enfrenta pacificamente a mediocridade majoritária e professa a fé sem respeitos humanos mas com educação, elegância e, sobretudo, caridade.

Quantos cristãos têm a coragem de, no meio de uma reunião de família, simplesmente dizer: “tchau, eu tenho que ir à missa”; ou, entre parentes mundanos, dar testemunho eloquente da própria virgindade e pureza de vida?…

Como Daniel, que não se dobrou diante do ídolo de Nabucodonosor e causou um “escândalo” na Babilônia, nós teremos de simpaticamente causar os nossos pequenos “escândalos pro bem”, confiando que Deus sempre honrará quem o honra.

Fica a dica. Não se dobre diante da ditadura do pecado. Nós precisamos dar testemunho de Jesus Cristo e, por isso, ter a coragem cheia de doçura de dizer a quem nós servimos, não apenas com os nossos lábios, mas sobretudo com as nossas obras, com a nossa vida.

Leia também
A escandalosa ignorância dos católicos a respeito de sua própria doutrina