Categorias
Brasil

Em Pernambuco atividades religiosas não são essenciais. Arcebispo diz que obedecerá.

 

Em função das novas restrições adotadas pelo governo do pernambucano, as igrejas serão novamente fechadas para atividades presenciais. Arcebispo lamenta mas diz que obedecerá, enquanto fiéis organizam protestos.

O Arcebispo de Olinda e Recife, Dom Antônio Fernando Saburido, lamentou “profundamente” as novas restrições adotadas pelo governo de Pernambuco para conter a disseminação do coronavírus, as quais proíbem atividades não essenciais – entre as quais as religiosas – durante a semana das 20h às 5h e ao longo de todo o fim de semana.

“Embora lamentando profundamente que as atividades religiosas não sejam consideradas atividades essenciais, sobretudo neste tempo de tanto sofrimento, obedeceremos ao Decreto do Governo do Estado, porque estamos sempre a favor da vida”, expressou o Arcebispo em um comunicado.

Dom Saburido ressaltou ainda que, “ao mesmo tempo, preocupam-nos as aglomerações, sobretudo no transporte público e nas filas das agências bancárias”.

Leia também
Após protestos, Dória recua e reconhece religião como atividade essencial

O governo de Pernambuco anunciou na segunda-feira, 1º de março, a proibição das atividades não essenciais das 20h às 5h, de segunda a sexta-feira, e durante todo o sábado e domingo. A medida entra em vigor nesta quarta-feira, 3 de março, e são válidas até o dia 17 deste mês.

As atividades religiosas não são consideradas essenciais em Pernambuco. Conforme determina o decreto nº 50.346, de 1º de março, estão incluídas na lista de atividades essenciais apenas as “atividades de preparação, gravação e transmissão de missas, cultos e demais celebrações religiosas pela internet ou por outros meios de comunicação, realizadas em igrejas, templos ou outros locais apropriados”.

Nesse sentido, o novo decreto do estado afeta diretamente o cumprimento do preceito dominical com a participação dos fiéis de forma presencial nas Santas Missas.

Diante disso, Dom fenando Saburido determinou que “as celebrações eucarísticas dos próximos finais de semana, 06 e 07, 13 e 14 de março (3º e 4º domingos da Quaresma), acontecerão com transmissão por internet, sem a presença dos fiéis, exceto a equipe de celebração e a Pascom” (Pastoral da Comunicação).

Também foram suspensas nesses dois fins de semana as celebrações dos demais sacramentos e atividades pastorais. E, em relação aos dias de semana, estabeleceu que “as celebrações eucarísticas, os outros sacramentos e as demais atividades pastorais” devem acontecer das 5h às 20h, “com a presença dos fiéis, observando as medidas de prevenção habituais”.

Por fim, o Arcebispo afirmou em seu comunicado que, “em comunhão com a Igreja no Brasil, reiteramos a necessidade de tomar a vacina, do uso de máscaras, das medidas de distanciamento e higienização”.

De acordo com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, a decisão foi tomada após análise do Comitê de Enfrentamento à Covid-19, a qual constatou que “o cenário só se agravou”. “Estamos agora com 93% de ocupação em nossos leitos de terapia intensiva, e nada aponta para a melhora desse quadro. A contaminação e a hospitalização decorrentes da Covid-19 estão em aceleração, e precisamos reduzir o contato social para frear essa escalada dos números”, disse.

Dados da Secretaria Estadual de Saúde divulgados na terça-feira, 2, apontam que Pernambuco contabiliza até o momento 301.434 casos confirmados de Covid-19 e 11.030 mortes em decorrência da doença.

Fonte: ACI Digital