Categorias
Mundo

Voluntária pró-vida é presa acusada de ‘oração mental’ perto de clínica de aborto

No Reino Unido uma mulher foi presa e revistada, inclusive nos cabelos, após rezar silenciosamente em uma zona de exclusão (assista o vídeo no final da matéria) .As autoridades estão considerando criminalizar a oração perto de centros de aborto em todo o país. Os defensores do aborto parecem ser muito mais claros sobre o poder da oração do que muitos cristãos.

Isabel Vaughan-Spruce, diretora da organização Marcha pela Vida no Reino Unido e voluntária que apoia mulheres em crise de gravidez, foi detida pela polícia do lado de fora de uma clínica de aborto em Birmingham.

Ela foi presa e acusada de quatro acusações depois de dizer à polícia que “poderia” estar orando silenciosamente, quando perguntada por que ela estava parada em uma rua pública perto de um centro de aborto.

A nova lei aprovada pelas autoridades de Birmingham criminaliza as pessoas consideradas “envolver-se em qualquer ato de aprovação ou desaprovação ou tentativa de ato de aprovação ou desaprovação” em relação ao aborto, inclusive por meio de “meios verbais ou escritos, oração ou conselho”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“É grosseiramente injusto que eu tenha sido revistado, detido, interrogado e acusado simplesmente por orar na privacidade de minha própria mente. As zonas de exclusão visam proibir o bullying, que já é ilegal. Ninguém deve ser assediado. Mas o que eu fiz estava longe de ser prejudicial: eu estava exercendo minha liberdade de pensamento, minha liberdade de religião, na privacidade de minha própria mente. Ninguém deve ser criminalizado por pensar e rezar em um espaço público no Reino Unido”, disse Isabel Vaughan-Spruce após sua prisão por oração silenciosa.

Traduzido de Infocatólica

Assista o vídeo do momento da prisão:

https://templariodemaria.com/wp-content/uploads/2022/12/rezando-clinica-de-aborto.mp4
Continua depois da publicidade