Categorias
Mundo

#SilenceDay – Um dia de protesto contra a censura

 

Não poste, não clique, não comente, não dê likes.

Internautas preparam para esta sexta-feira (15) um protesto contra a censura e controle das grandes empresas de tecnologias às redes sociais.

O movimento foi intitulado como “Silence Day” e incentiva que os usuários das principais redes sociais, como Twitter, Instagram e Facebook, por exemplo, não postem, não curtam, não comentem e não compartilhem nada durante 24 horas.

Apesar estar entre os assuntos mais comentados do Twitter nesta quinta-feira (14), algumas pessoas discordam da atitude, afirmando que, pelo contrário, não se deve ceder à “pressão” imposta aos conservadores.

Muitos perfis já foram banidos principalmente após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter suas contas suspensas na internet.

Leia este comentário incentivando o protesto:

Há muito, as empresas de tecnologia resolveram adotar políticas de censura nas redes sociais, impedindo a livre expressão. Este movimento vem atingindo uma escala global, ostensiva, jamais imaginada.

Eles não querem banir completamente o dissenso, pois seria fácil simplesmente bloquear de forma permanente os não alinhados. Na esmagadora maioria dos casos, a punição envolve apagar mensagens e ficar um tempo sem acessar a rede em questão. Ou seja, há interesse de controlar o comportamento humano, colocando limites cada vez mais estritos ao debate público.

Por trás disso, há a questão econômica. As Big Techs transformam a sua atenção em receita, através da venda de anúncios. Não interessa às Big Techs perder seus produtos, ou seja, nós.

Em troca de pequenas doses de dopamina (prazer), gerada por seguidores, likes e comentários, as empresas viciam os produtos (as pessoas) nas suas redes, utilizando a dependência para impor uma agenda política de submissão. Elas não querem que você deixe de usar as redes, mas sim passe a adotar um discurso politicamente correto.

A única ameaça a tais empresas é a revolta dos usuários e abandono das redes. E esse será apenas o primeiro protesto. Na sexta-feira, dia 15 de janeira, não poste, não clique, não comente, não dê likes, especialmente nas grandes redes, como Twitter, Facebook, Instagram, WhatsApp e Youtube. Não gere receita para as Big Techs. Apenas poste #SilenceDay.

Saia da Internet. Leia um livro. “1984”, de George Orwell, ou “Admirável Mundo Novo”, de Aldous Huxley, são boas pedidas para entender o que estamos vivendo. Converse com um amigo. Medite. Fique em silêncio. Faça algo FORA DAS REDES SOCIAIS.

Se não resistir e tiver que usaras redes, busque as alternativas, como Telegram, Parler, Gab, Signal e tantas outras.

#SilenceDay, durante todo o dia 15/01.

Deixe os inimigos da liberdade falando sozinhos, ou mesmo comemorando o nosso silêncio. Somos muitos. Se nos unirmos, somos insuperáveis.


Faça uma pausa na leitura para assistir uma formação especial:
Como viver bem a Quaresma?