Categorias
Mundo

Sangue de São Januário se Liquefaz em Nápoles no dia de sua Festa

Hoje, 19, a Igreja celebra San Gennaro, ou São Januário como é conhecido no Brasil. Esse grande santo, foi decapitado no ano 300 e se tornou o padroeiro da cidade italiana de Nápoles. E sobre a sua figura, existe um milagre que se renova anualmente desde 1389. Você sabe do que se trata?

O milagre do sangue de San Gennaro

Na manhã de hoje, na Catedral de Nápoles, localizada na Piazza del Duomo, uma multidão se une ao arcebispo da diocese dom Domenico Battaglia para testemunhar o milagre da liquefação do sangue do santo, que acontece desde o século XIV.

A tradição afirma que se o sangue do santo passar pelo processo de liquefação, que nada mais é do que sair do estado sólido para o líquido, a cidade de Nápoles e toda a região estarão abençoadas, e essa bênção se estende ao mundo inteiro. O arcebispo de Nápoles com a ampola que contém o sangue nas mãos, faz o movimento de virá-la e diante da multidão o sangue se torna líquido ou não.

Quando o sangue não se liquefaz

Depois de oito séculos em que o milagre acontece, a população interpreta que a liquefação é sinal de bom presságio, porém, quando não acontece, a interpretação é de que catástrofes ocorrerão. Como foi o caso da Segunda Guerra, em que a Itália foi um dos países a guerrear e próximo a guerra o sangue não se liquefez, permaneceu no estado sólido.

Recentemente, em dezembro de 2020, o sangue também não se liquefez e em seguida o mundo enfrentou a pandemia no Novo Coronavírus.

Datas em que a ampola é manuseada?

O milagre de San Gennaro pode ocorrer três vezes ao ano. No primeiro domingo de maio, em 19 de setembro e em 16 de dezembro.

Por que a escolha dessas datas?

Em maio, pois, é o mês dedicado a Virgem Maria, e a Catedral onde se encontra a ampola e o relicário com o sangue de San Gennaro é dedicada a Mãe de Deus, sob o título de Santa Maria Assunta ou Santa Maria da Assunção, em português.

Em 19 de setembro, é o dia da morte do santo, e por isso, a data foi inserida no calendário de Nápoles e em toda a cidade acontecem homenagens a San Gennaro. E por fim, 16 de dezembro, pois, segundo a tradição local, nessa data no ano de 1631, a população clamou pela intercessão do santo mediante a possibilidade de uma erupção do Vulcão Vesúvio e a catástrofe não aconteceu.

Em 2022 o sangue se liquefez?

Em maio deste ano, o sangue de San Gennaro se liquefez nas mãos do arcebispo de Nápoles, dom Domenico Battaglia. E a população se sentiu aliviada mediante o milagre.

Naquela ocasião, o arcebispo chamava a atenção para que os presentes não se prendessem somente no milagre, mas que de modo introspectivo olhassem para os rumos que o mundo estava tomando.

“Quer que não prestemos atenção só no pedaço sólido ou liquefeito de sua ampola, mas que seu sangue se torne um filtro para que possamos olhar o caminho de nossa cidade e de toda a humanidade”, acrescentou Dom Domenico Battaglia

Na manhã de hoje, 19, o milagre aconteceu novamente nas mãos de dom Bataglia o sangue dentro da ampola se liquefez e a alegria tomou conta dos presentes.

A próxima data em que a ampola será retirada do relicário será em 16 de dezembro. Até lá, agradecemos a Deus por esse sinal do céu da liquefação do sangue de San Gennaro.

San Gennaro, rogai por nós!

Por Vanusa da Silva, da Rede Século 21

Sangue de São Januário Liquefaz em Nápoles no Dia da Festa

O arcebispo Domenico Battaglia de Nápoles ergueu uma ampola contendo a relíquia do sangue do santos-mártir do século III na Catedral de Nápoles em 19 de setembro, revelando a liquefação aos gritos e aplausos. O milagre de renome geralmente ocorre até três vezes por ano.

O sangue de São Januário liquefeito na segunda-feira em uma missa em Nápoles, onde o arcebispo condenou fortemente a “cultura mafiosa cancerosa” da cidade.

O arcebispo Domenico Battaglia de Nápoles ergueu uma ampola contendo a relíquia do sangue do santos-mártir do século III na Catedral de Nápoles em 19 de setembro, revelando a liquefação aos gritos e aplausos.

“Hoje, o sinal do sangue do Bispo Januarius, derramado pelo bem de Cristo e seus irmãos, nos diz que bondade, beleza e justiça são e sempre serão vitoriosos”, disse o arcebispo.

“Aqui está o significado deste sangue, que, unido com o sangue derramado por Cristo e o de todos os mártires de cada lugar e tempo, é um testemunho vivo de que o amor sempre vence.”

Mais de 2.000 pessoas se reuniram na Catedral de Nápoles da Assunção de Maria para a festa de São Januário, o santo padroeiro da cidade, conhecido como San Gennaro em italiano. Acredita-se que o bispo do século III tenha sido martirizado durante a perseguição cristã do Imperador Diocleciano.

A missa está em andamento na Catedral de Nápoles em 19 de setembro. Captura de tela/Chiesa di Napoli Canal do YouTube

Na história napolitana, a falha do sangue em liquefazer sinaliza guerra, fome, doenças ou outros desastres. O milagre de renome geralmente ocorre até três vezes por ano: 19 de setembro, dia da festa do santo; no primeiro sábado de maio; e 16 de dezembro, o aniversário da erupção de 1631 do Monte Vesúvio.

Em sua homilia, o arcebispo de Nápoles advertiu contra reduzir a veneração do santo da cidade à mera superstição.

“Importa pouco, meus irmãos e irmãs, quer o sangue liquefaça ou não: nunca reduzimos essa celebração a um oráculo a ser consultado”, disse o arcebispo Battaglia.

“Acredite em mim, o que realmente importa para o Senhor, o que nosso bispo e mártir Januarius nos pede fortemente, é o compromisso diário de apostar no amor”, acrescentou.

O Arcebispo Battaglia segura o sangue liquefeito de São Januário em 19 de setembro. | Captura de tela / canal do Youtube, Chiesa di Napoli

O arcebispo Battaglia também ressaltou a necessidade de confrontar a “cultura mafiosa” da cidade do sul da Itália. Ele disse que o “mal canceroso da Camorra e da cultura mafiosa, a pobreza educacional e o desemprego” são como uma “praga” para os jovens em Nápoles, muitas vezes forçando-os a emigrar.

O arcebispo apelou aos católicos para contribuir com o “pacto educacional” que lançou em Nápoles no ano passado, com o objetivo de alcançar jovens com oportunidades construtivas antes de serem atraídos para o crime organizado.

Ele disse: “Povo de Nápoles, o que te torna magnífico é sua capacidade de amar; o que pode torná-lo ainda mais é tirar da fonte do amor, que é o próprio Cristo: Não tenha medo de segui-lo e ampliar o Senhor pelo que ele vai trabalhar em você, em seus pequenos, entre seus pobres, para aqueles que se sentam à margem da sociedade.”

Traduzido de NCRegistaer