Categorias
Mundo

Presidente da Argentina, Alberto Fernandez anuncia projeto para legalizar aborto

Como esperado, após suas repetidas declarações durante a campanha eleitoral e após sua eleição como presidente da Argentina, Alberto Fernández anunciou ontem, durante a inauguração do ano legislativo, o envio de um projeto de lei para descriminalizar o aborto.

A campanha pelo assassinato intrauterino, encabeçada há tempos por grandes fundações internacionais bilionárias, encontrou na aliança entre peronistas e o Foro de São Paulo um instrumento incrivelmente dócil para dar continuidade à implementação da cultura da morte na Argentina, país que no ano passado realizou a maior Marcha pela Vida da História, reunindo 2 milhões de cidadãos nas ruas de Buenos Aires.

O argumento do presidente argentino é muito singular:

«O aborto acontece, é um fato . Um Estado atual deve proteger os cidadãos em geral e as mulheres em particular. Vou apresentar nos próximos 10 dias um projeto que legaliza o aborto no momento inicial da gravidez ».

Suas palavras receberam a ovação dos deputados que apóiam seu governo, bem como de grupos pró-aborto que se manifestavam fora do Congresso.

“A legislação atual sobre o aborto não é eficaz, desde 1921 a Argentina penaliza o aborto na maioria dos casos”, disse ele, que optou não apenas pela descriminalização do aborto, mas diretamente por sua legalização .

É praticamente garantido que o projeto será aprovado na Câmara dos Deputados , como aconteceu em 2018, mas pode se reunir novamente com o voto contra a maioria do Senado . 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE