Categorias
Mundo

Papa Francisco vai à Embaixada Russa interceder sobre invasão à Ucrânia

O Papa Francisco quebrou o protocolo e foi até a Embaixada Russa na Santa Sé na manhã desta sexta-feira (25) para acompanhar e mostrar sua preocupação com os recentes acontecimentos na Ucrânia. O país foi atacado por mísseis russos, deixando mais de 130 mortos e as tropas já ocupam grandes cidades e importantes locais. A situação é tensa e pode gerar conflitos ainda mores em toda a Europa.

Chegando num carro simples por volta do meio-dia, o Santo Padre permaneceu na Embaixada por cerca de quarenta minutos, para conversar com o embaixador Aleksandr Avdeyev e expressar sua “grande preocupação com a guerra”. A informação foi confirmada pelo diretor da Sala de Imprensa vaticana, Matteo Bruni.

Outras agências de notícias pelo mundo informaram ainda que o Papa Francisco se ofereceu para atuar pessoalmente como mediador do conflito entre Rússia e Ucrânia, mas o embaixador Avdeyev recusou a proposta, de acordo a agência de notícias russa TASS.

Na Audiência Geral desta quarta-feira (23), o Papa pediu um dia mundial de jejum e oração em 2 de março -Quarta-feira de Cinzas- e a permanência em oração para que “a Rainha da Paz preserve o mundo da loucura da guerra”.

“Tenho uma grande tristeza em meu coração com o agravamento da situação na Ucrânia.”, disse o Papa Francisco. “Como eu, muitas pessoas ao redor do mundo estão experimentando angústia e preocupação. Mais uma vez, a paz de todos está ameaçada por interesses de parte”, disse ele.

Rezemos pela paz na Ucrânia!

Papa Francisco pede um dia de oração e jejum na Quarta-feira de Cinzas pela paz na Ucrânia

Devido à escalada da crise entre a Rússia e a Ucrânia, o Papa Francisco lançou um apelo para que todos os cristãos jejuem na Quarta-feira de Cinzas.

Na Audiência Geral de 23 de fevereiro, o Santo Padre pediu um dia mundial de jejum em 2 de março e a permanência em oração para que “a Rainha da Paz preserve o mundo da loucura da guerra”.

“Tenho uma grande tristeza em meu coração com o agravamento da situação na Ucrânia.”, disse o Papa Francisco. “Como eu, muitas pessoas ao redor do mundo estão experimentando angústia e preocupação. Mais uma vez, a paz de todos está ameaçada por interesses de parte.“.

“Gostaria de apelar aos responsáveis políticos para que façam um sério exame de consciência diante de Deus, que é o Deus da paz e não da guerra, o Pai de todos, não apenas de alguns, que quer que sejamos irmãos e não inimigos. Peço a todas as partes envolvidas que se abstenham de qualquer ação que possa causar ainda mais sofrimento às populações, desestabilizando a convivência entre as nações e desacreditando o direito internacional.”.

“E agora, gostaria de apelar a todos, crentes e não crentes. Jesus nos ensinou que à insistência diabólica, à diabólica insensatez da violência se responde com as armas de Deus: com a oração e o jejum.”, disse o Papa Francisco.

“Convido a todos a fazerem no próximo 2 de março, Quarta-feira de Cinzas, um dia de jejum pela paz. Encorajo, de modo especial os crentes a se dedicarem intensamente à oração e ao jejum naquele dia. Que a Rainha da Paz preserve o mundo da loucura da guerra.”

Oração de São João Paulo II pela paz

São João Paulo II foi um Papa especialmente empenhado em gerar amizade entre os povos, construindo pontes onde havia conflito. Ele é conhecido como o Santo Padre que mais promoveu o ecumenismo e o diálogo inter-religioso, mas acima de tudo, era conhecido como o “Papa peregrino”, além de um lutador ativo pela paz.

Em 1978, ele interveio no “Conflito Beagle” entre Argentina e Chile, que parecia destinado a uma guerra irremediável. Em 1986, num gesto inédito, convocou os chefes e representantes das Igrejas e religiões cristãs de todo o mundo para o Dia Mundial de Oração pela Paz.

Por isso, nesta delicada situação pela paz mundial, partilhamos esta breve mas intensa oração pela paz que São João Paulo II rezou no Parque Memorial da Paz de Hiroshima.

Rezemos:

“Ao Criador da natureza e do homem, da verdade e da beleza, rogo:

Ouve a minha voz, pois é a voz das vítimas de todas as guerras e violências entre indivíduos e nações.

Ouve a minha voz, pois é a voz de todas as crianças que sofrem e sofrerão quando as pessoas depositarem sua fé nas armas e na guerra.

Ouve a minha voz quando te imploro que infundas no coração de todos os homens a sabedoria da paz, a força da justiça e a alegria da fraternidade.

Ouve a minha voz, pois falo pelas multidões de todos os países e de todos os períodos da história que não querem a guerra e estão preparados para trilhar os caminhos da paz.

Ouve a minha voz e concede-nos discernimento e força para que possamos sempre responder ao ódio com amor, à injustiça com total dedicação à justiça, à necessidade compartilhando o que é nosso, à guerra com paz.”

Nos unamos ao Papa, à Igreja e ao mundo em oração e jejum pela paz na Ucrânia!

Via ChurchPop