Papa Francisco acrescenta três títulos à ladainha da Virgem Maria

A Ladainha da Virgem Maria, também conhecida como Ladainha de Loreto, é uma oração aprovada pela intercessão de Maria pela Igreja desde o final do século XVI, com seu uso registrado ainda antes.

CIDADE DO VATICANO – O Papa Francisco aprovou a inclusão de três invocações adicionais na Ladainha da Virgem Maria, também chamada Ladainha de Loreto.

Em uma carta de 20 de junho aos presidentes das conferências dos bispos, o cardeal Robert Sarah, prefeito da Congregação para a Divina Liturgia e a Disciplina dos Sacramentos, disse que as invocações “Mater misericordiae”, “Mater spei” e “Solacium migrantium” deve ser inserido na litania mariana.

“Os títulos e invocações que a piedade cristã reservou para a Virgem Maria ao longo dos séculos, como o caminho privilegiado e seguro para um encontro com Cristo, são inúmeros”, escreveu Sarah.

“Mesmo neste momento presente, marcado por sentimentos de incerteza e apreensão, o recurso devoto a ela, cheio de afeto e confiança, é profundamente sentido pelo povo de Deus”, continuou o cardeal.

O cardeal Sarah disse que o Papa Francisco saudou o desejo das pessoas de incluir essas invocações no formulário da litania.

 

Ajude a manter nosso apostolado. Clique aqui para visitar nossa Loja Virtual

 

A Ladainha da Virgem Maria, também conhecida como Ladainha de Loreto, é uma oração aprovada pela intercessão de Maria pela Igreja desde o final do século XVI, com seu uso registrado ainda antes.

Consiste na recitação de títulos formais e informais de Maria, seguida pelo pedido de Maria para “orar por nós”.

A ladainha pode ser rezada em latim ou em vernáculo.  

Em sua carta, o cardeal Sarah observou onde cada invocação deveria ser adicionada, usando as formulações latinas. “Mater misericordiae”, que significa “Mãe da misericórdia”, deve ser colocada após “Mater Ecclesiae”.

“Mater spei”, que significa “Mãe da esperança”, deve seguir “Mater divinae gratiae” e “Solacium migrantium”, que significa “Conforto dos migrantes”, deve seguir “Refugium peccatorum”.

“Com todo desejo e consideração, desejamos confiar esta notificação a você para sua informação e solicitação”, escreveu Sarah às conferências dos bispos. A carta é datada de 20 de junho, dia em que a Igreja celebra o memorial do Imaculado Coração de Maria.

O cardeal Sarah disse que “a Igreja que caminha pelos caminhos da história como peregrina em direção à Jerusalém celestial e desfruta de comunhão inseparável com Cristo, seu cônjuge e salvador, confia-se àqueles que creram na palavra do Senhor”.

Traduzido de Catholic Herald