Categorias
Brasil

Padre transforma altar em palanque político e critica o presidente da república

 

Durante a missa do domingo o religioso acusou o presidente da republica de genocida e sem moral, assim como todos que votaram nele.

O Padre Adauto Tavares utilizou o altar da Paróquia de Nossa Senhora de Guadalupe, na cidade de Guarabira – PB, para criticar publicamente o presidente Jair Bolsonaro e culpá-lo pelas mortes.

Assista o vídeo:

Disse o padre: “O presidente da República do Brasil é um imoral. Um homem que não tem moral nenhuma. É um irresponsável. Eu estou com vontade de dizer outra coisa, mas eu não vou dizer, não, porque é pecado dizer na missa. Ele não tem responsabilidade com a vida de ninguém”

E ainda acrescentou: “E sem moral é quem vota nele também! Isso me revolta”.

A crítica do padre se baseia principalmente no fato do presidente não incentivar que as pessoas fiquem trancadas em casa e por ter um posicionamento inverso ao lockdown. Além de comparar o Brasil e os EUA na quantidade de pessoas vacinadas

Os ataques do padre não se restringem à pessoa ou ao governo do presidente Bolsonaro, mas critica enfaticamente a maioria da população brasileira conservadora e cristã que o elegeu.

Leia também
Católicos criam campanha: “Tirem o PT do altar. Por uma igreja sem partido”

Atualmente não existem dados científicos sólidos que comprovem que o lockdown seja mais eficiente para conter o vírus, uma vez que nenhum lockdown é 100%, sendo que as pessoas necessitam frequentar mercados, bancos e outros locais que teoricamente oferecem de alto risco de contaminação, e em seguida voltar para suas casas e ficar com o restante da família, aumentando o tempo de exposição aos familiares e consequentemente a possibilidade de contágio.

Por todos os cantos do Brasil, os católicos estão demonstrando cada vez mais insatisfação para situações como demonstradas por este padre, que utiliza o altar como palanque político. Há diversos relatos de fiéis promovem manifestações e até mesmo contratam outdoors (placas de propaganda) pedindo a despolitização das missas, com os dizeres: “Tirem o PT do altar”, e também contra a campanha da fraternidade.

Leia também
Em Londrina, fiéis promovem outdoor contra doação na coleta da Campanha da Fraternidade