Categorias
Mundo

Novo filme de Mark Wahlberg e Mel Gibson conta o testemunho de conversão de um sacerdote

 

Os atores Mark Wahlberg e Mel Gibson começaram a gravar um filme biográfico sobre Stuart Long, um ex-boxeador que se descrevia como “anticristão por excelência”, mas que depois de um grave acidente se converteu ao catolicismo e foi ordenado sacerdote.

Padre Long morreu de uma doença muscular degenerativa aos 50 anos, em 9 de junho de 2014, no Big Sky Care Center de Helena, capital do estado de Montana, EUA.

Segundo The Hollywood Reporter, o filme “Father Stu” (Padre Stu), como era conhecido Stuart Long, está nos projetos de Wahlberg há pelo menos seis anos.

“Wahlberg contratou Mel Gibson e a roteirista e diretora Rosalind Ross, parceira de longa data de Gibson, para o filme biográfico intitulado Father Stu. Ross escreveu o roteiro e fará sua estreia como diretora de longas-metragens, com Wahlberg interpretando o padre. Gibson interpretaria o pai de Long, e Teresa Ruiz, uma das estrelas de ‘Narcos: Mexico’, embarcou para interpretar sua namorada”, informou The Hollywood Reporter.

A produção do filme teve início em meados de abril de 2021, em Los Angeles.

A vida do Padre Stu

Stuart Long nasceu em Seattle, em 26 de julho de 1963. Quando ainda era criança, a família se mudou para Helena, a cidade natal de seus pais, Bill e Kathleen Long.

Long começou sua educação primária na Central School em Helena e se formou na Capital High School, em 1981. Começou sua vida universitária no Carroll College em Helena, onde se tornou um atleta completo. Jogava futebol americano, treinava luta livre e ganhou o título de peso pesado na competição de boxe das Luvas de Ouro de 1985 para Montana.

Em 1986, Long se formou em literatura e redação inglesa no Carroll College.

Embora tivesse decidido lutar boxe profissionalmente, uma cirurgia reconstrutiva da mandíbula interrompeu seus planos. Por sugestão de sua mãe, mudou-se para Los Angeles com a intenção de se dedicar ao teatro, outra de suas paixões. Desiludido, long foi trabalhar no Museu Norton Simon em Pasadena, do qual se tornou gerente, cargo que ocupou por sete anos.

Apesar de ter estudado em uma faculdade católica, Stuart Long não era crente e até se descreveu como o “anticristão por excelência”, o que o levou a entrar em conflito com padres e colegas.

Em 1994, Long sofreu um acidente de motocicleta, no qual foi atropelado por dois carros. Ao se salvar da morte, ele começou a descobrir sua fé e foi batizado como católico no mesmo ano 1994.

Stuart Long sentiu a vocação ao sacerdócio assim que foi batizado. Para testá-la, deixou o museu em 1998 e lecionou por três anos em uma escola católica em Mission Hills, Califórnia. Depois, passou a servir com os frades capuchinhos na cidade de Nova York, trabalhando em alguns dos bairros mais pobres da cidade.

Os frades o enviaram à Universidade Franciscana de Steubenville, Ohio, para estudar Filosofia. Depois de obter seu mestrado em Filosofia, recebeu sua formação sacerdotal para a diocese de Helena em Mount Angel Seminary, em Oregon. Foi ordenado sacerdote em 14 de dezembro de 2007, na catedral de Santa Elena.

Stuart Long caminhava com a ajuda de muletas durante sua ordenação, pois havia sido diagnosticado com miosite por corpos de inclusão, uma doença autoimune extremamente rara que mimetiza os sintomas de ELA (doença de Lou Gehrig) para a qual não há cura.

De acordo com seus amigos, ele descobriu seu grande amor servindo como sacerdote, administrando os sacramentos e aconselhando os fiéis.

Em 2010, a diocese o levou para casa em Helena, onde o padre Stu começou uma nova vida e ministério no Big Sky Care Center, agora usando uma cadeira de rodas elétrica.

O padre Stu fez trabalhos de caridade nas paróquias de Helena, aceitando de boa vontade a dor e a fraqueza que sentia. Celebrava missa regularmente na paróquia de Santa Maria e no Big Sky Care Center, além de viajar para onde pediam.

Uma vez ele comentou que sua doença foi a melhor coisa que lhe aconteceu, porque lhe permitiu deixar de lado o orgulho que havia sentido durante a maior parte de sua vida.

A transformação de Mark Wahlberg para interpretar o padre Stu

As filmagens, segundo o site especializado IMDB, começaram no dia 12 de abril. Pelas imagens compartilhadas por Whalberg, começou com a fase em que Stuart Long era um jovem atleta que jogava futebol americano e competia no boxe de sua universidade, esporte ao qual achava que poderia se dedicar. Mas uma cirurgia na mandíbula o fez abandonar essa opção e o levou a tentar a sorte como ator em Los Angeles.

Whalberg está especialmente envolvido nas filmagens da vida do padre Stu. Segundo o The Hollywood Reporter, é um desejo que ele alimentava há seis anos. De fato, ele também é produtor do filme.

Whalberg nunca se recusou a falar sobre sua fé católica e até mesmo animou com alegria a vigília com o Papa Francisco no Encontro Mundial das Famílias na Filadélfia em 2015.

Sua rotina diária fora das filmagens

Ele juntou forças para contar a vida do padre Stu com Mel Gibson, que interpretará o pai de Stuart. Ele acompanhou seu filho durante seus últimos anos, ajudando-o a viver seu sacerdócio apesar de sua doença.

O filme poderá definir a carreira de Whalberg, que já foi indicado ao Oscar por sua atuação em Os Infiltrados, e pela produção do filme O Vencedor.

Em uma ocasião, Whalberg compartilhou sua rotina diária fora das filmagens em suas redes sociais. Entre suas atividades, ele passa meia hora em oração pessoal antes de começar o dia.

Com um ritmo de atividades e treinos impressionante, não lhe custará recuperar o peso normal depois de interpretar o padre Stu, para o que já ganhou 9 quilos, mas ele espera subir mais 9 quilos.

Com informações de ACI Digital e Aleteia