Categorias
Mundo

No Dia da Mulher, católicos espalham cartazes com Ave Maria pela Espanha

 

A Associação Católica de Propagandistas (ACdP) da Espanha lançou uma campanha para o Dia da Mulher colocando cartazes com a Ave Maria em mais de 30 cidades da Espanha, a fim de contrastar a mensagem do movimento feminista.

“Durante os próximos dias vamos assistir a diversas manifestações, promovidas principalmente pelo governo da Espanha, nas quais uma suposta reivindicação pela igualdade das mulheres será mostrada por meio de um confronto que é falso”, indicou a ACdP em um comunicado.

“Queremos estar presentes nas ruas de mais de vinte cidades espanholas com o que temos de melhor”, frisou.

Os cartazes serão colocados em Albacete, Alcobendas, Barcelona, Bilbao, Burgos, Coslada, Cuenca, Fuenlabrada, Gerona, Getafe, Gijón, Hospitalet, León, Lérida, Logroño, Madri, Móstoles, Oviedo, Pamplona, Pozuelo, Salamanca, San Sebastián de los Reyes, Santander, Santiago de Compostela, Sevilla, Toledo, Valencia, Valladolid, Vigo, Villanueva de la Cañada, Zaragoza.

Inicialmente, as autoridades espanholas permitiram as marchas feministas programadas para 8 de março, mas finalmente decidiram proibi-las, já que mantêm fortes restrições sobre o deslocamento e reunião de pessoas, assim como sobre o culto religioso devido à pandemia do coronavírus.

Por causa da pandemia de coronavírus Covid-19, o governo alterou as autorizações iniciais e decidiu proibir as manifestações feministas.

O delegado do Governo em Madri, José Manuel Franco, anunciou em 4 de março, em coletiva de imprensa, que decidiu “proibir todas as que foram comunicadas a esta delegação e que estavam previstas para o próximo domingo 7 e segunda-feira 8 de março na Comunidade de Madri”.

“Se fizermos um somatório de todos os participantes previstos pelos organizadores, poderíamos facilmente ter mais de 60 mil pessoas a circular pelas diferentes ruas de Madri entre os dias 7 e 8 de março”, explicou.

Com essa decisão, foi revertida a ordem anterior que permitia manifestações com menos de 500 pessoas.

Fonte: ACI Digital