Categorias
Brasil

‘Mandem a polícia, estamos sendo assaltados’, pede padre durante transmissão de missa

Padre estava com mais três pessoas na Paróquia São José Operário, em São Leopoldo, quando dois homens invadiram o local. Dois celulares e a chave de um carro foram levados.

celebração da missa na Paróquia São Pedro Operário em São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre, foi interrompida após dois homens invadirem o local anunciando um assalto na noite da quarta-feira (15).

Os fiéis que acompanhavam o ato litúrgico, transmitido online por uma rede social, devido as regras de distanciamento por conta do coronavírus, se depararam com o pedido do padre Ramiro Mincato.

“Pessoal, mandem a polícia aqui para a igreja. Estamos sendo assaltados durante a missa”.

A ação aconteceu por volta das 19h, no bairro Fião. Além do padre, estavam mais quatro pessoas na igreja. Segundo a Brigada Militar, foram levados dois celulares e a chave de um veículo.

Assista o trecho do vídeo quando o assalto acontece:

https://templariodemaria.com/wp-content/uploads/2020/07/109710690_332450747778622_2742381604912814956_n.mp4

“Eu ia proclamar o evangelho e vi essas duas pessoas entrando, fazendo sinal para não falar. Colocando o dedo na frente da boca”, lembra o padre.

As testemunhas contam que os homens afirmavam estar armados. Ninguém ficou ferido. Após o assalto, os suspeitos fugiram e ainda não foram localizados.

Paróquia São Pedro Operário fica no bairro Fião, em São Leopoldo — Foto: Reprodução/RBS TV

A secretária da paróquia conta que o lugar já foi furtado sete vezes só neste ano.

“É horrível. Graças a Deus ninguém se machucou”, afirma Jeni Hugentobler.

Devido aos acontecimentos anteriores, o local conta com instalação de câmeras, sensores e alarmes internos e externos.

“Temos um bom sistema de segurança. O problema é que durante a missa não podem ficar ligados os alarmes. Então, os dois entraram como se viessem para missa. Eu custei para entender o que estava acontecendo. Caiu a ficha quando eu vi ele tirando o celular da secretária”, diz o padre Ramiro.

A polícia vai usar as imagens das câmeras de segurança para tentar identificar os autores da ação.

Com informações do G1