Categorias
Análise e Opinião Total Consagração a Nossa Senhora

Resposta a um seminarista que falava contra a Total Consagração à Santíssima Virgem

 

Transcrevemos abaixo o e-mail de um leitor do nosso site, acuado pelas investidas de um seminarista progressista e preconceituoso que em sua paróquia falava contra a Total Consagração à Nossa Senhora.

Segue o e-mail do leitor e a resposta do padre. Decidimos publica-lo pois são respostas a dúvidas comuns de muitas outras pessoas.

Salve Maria Imaculada. Padre, na minha paróquia tem um seminarista que não concorda com a consagração. Vai fazer 1 ano que eu sou consagrado pelo método de São Luís, mas o seminarista sempre faz algumas críticas sobre a consagração aí eu queria que o senhor me respondesse tudo o que o seminarista me falou para assim eu não ter mais dúvidas.

Eu sou um vocacionado, tenho 18 anos e ele começou a falar que o reitor poderia me cortar do seminário se me vesse com a cadeia no braço e falou várias coisas aí eu tirei a minha cadeia e coloquei no tornozelo. Queria saber se foi errado o que eu fiz porque às vezes eu acho que foi uma fuga da perseguição mudar a minha cadeia de lugar. Ele também usou aquelas palavras de Jesus: “Eu não vos chamo mais de escravos, mas sim de amigos”, depois ele disse que depois do Concílio Vaticano II a Igreja aboliu qualquer tipo de escravidão e disse também que esse tipo de consagração não é aprovado oficialmente pela Igreja. Isso tudo é verdade? O senhor poderia me explicar tudo isso, por favor?

Leia nossa Resposta:

Caríssimo, que Deus te abençoe…

Esse seminarista que atua em sua paróquia pode até ter boa vontade, mas é muito mal informado…

Ele deveria saber que TODOS os escritos de São Luís foram aprovados pela Igreja e declarados isentos de qualquer erro pelo Papa Pio IX.

Ele deveria saber que as correntes abençoadas, das quais São Luís Maria Grignion de Montfort fala no Tratado da Verdadeira Devoção, são sacramentais, ou seja, objetos abençoados para uso dos fiéis e que juntamente com todas as demais práticas ensinadas por São Luís são aprovadas pela Santa Igreja.

Ele deveria saber que esta Consagração consiste na renovação de nossos votos batismais e que por isso mesmo possui uma atualidade pastoral permanente, uma vez que a santidade consiste justamente na fidelidade a esses mesmos votos.

Ele deveria saber que, justamente por ser sempre atual, esta consagração foi vivenciada por diversos santos e Papas de nosso tempo, e que na atualidade o maior apóstolo desta consagração foi São João Paulo II, que fez essa Total Consagração quando ainda era seminarista e que quando Papa deu seu testemunho de Escravo de Nossa Senhora e adotou como lema de seu pontificado o ”TOTUS TUUS MARIAE”, o qual foi tirado do Tratado da Verdadeira Devoção e resume esta Consagração. Ele deveria saber que esse grande Papa (João Paulo II) lia esse Tratado todos os dias e o tinha como livro de cabeceira, sabendo de cor várias partes desse precioso livrinho.

Ele deveria saber que este mesmo Papa escreveu duas cartas à família monfortana onde ele exalta essa Consagração, a Santa Escravidão de Amor para com Nossa Senhora, e recomenda a todos os fiéis, justamente por saber e por ter ele mesmo experimentado seus maravilhosos efeitos.

Esse seminarista que ignora as coisas mais elementares da vida espiritual, talvez com o tempo estude mais a Bíblia e passe a interpretá-la melhor, à luz do Sagrado Magistério, para assim saber, por exemplo, que na Bíblia a palavra ‘servo’ equivale a escravo, pois naquela época não havia distinção entre uma coisa e outra. Assim é comum em suas cartas os apóstolos se apresentarem como servos, ou seja, como escravos do Senhor, ou ainda, para eles era uma honra pertencer a Jesus, ser uma propriedade de Deus. Jesus nos trata como filhos e irmãos, mas nós pertencemos a Ele, somos suas propriedades, por Ele criados e resgatados pelo seu Preciosíssimo Sangue. Ademais, a Bíblia nos diz que Jesus e Maria se fizeram Escravos por amor de nós… É, portanto muito adequado que nos façamos escravos por amor a Eles.

É caríssimo… O citado seminarista se quiser ser um bom sacerdote necessitará estudar um pouco melhor a fé e a espiritualidade católica. Tudo quanto ele falou apenas evidenciou a monumental ignorância que o mesmo possui em relação a essa Total Consagração e sua relação com a fé católica. Sei que esse desconhecimento se estende a muitos outros seminaristas, sacerdotes e mesmo muitos bispos, que pensam ter o direto de condenar ou desaprovar o que a Santa Igreja já aprovou e recomendou. Esse espírito contrário à devoção e a piedade por boa parte do clero, evidencia o estado de doença espiritual no qual se encontra o mundo e boa parte dos membros da Igreja de Deus.

Leia também: BISPO PROÍBE USO DO SAGRADO VÉU E CADEIAS DA TOTAL CONSAGRAÇÃO EM SUA DIOCESE

Quanto a você só lhe recordo que as correntes não são obrigatórias, aliás, como nenhuma prática externa da Total Consagração, mas, como diz São Luís de Montfort, são vivamente recomendadas. É inevitável lembrar-se das palavras de Nosso Senhor: ”Quem se envergonhar de mim diante dos homens, eu também me envergonharei dele diante de meu Pai”.

Que Deus siga te abençoando, mas pense bem se vale a pena entrar em um seminário onde a doutrina da Igreja não é bem aceita ou bem ensinada. Que Deus mesmo te providencie um seminário onde você possa aprender doutrina católica e vivenciar uma boa espiritualidade.

A Igreja e o mundo necessitam de padres santos, que tenham coragem de amar a Deus e as pessoas a ponto de serem verdadeiros com elas; e de lhes proporcionar a graça de Deus para conduzi-las ao céu.

Templário de Maria