Categorias
Mundo

Cisma à vista? Mais de 300 padres continuarão abençoando uniões gays

 

Uma organização com mais de 300 Padres e Diáconos da Áustria desafiou o Vaticano e anunciou na terça-feira 16 de março que vai continuar abençoando uniões homossexuais.

“Nós, membros da Iniciativa dos Padres de Paróquia (Pfarrer Initiative) estamos profundamente estarrecidos pelo novo decreto romano que busca proibir a bênção de amorosos “casais” homossexuais. Isso é uma recaída aos tempos que esperávamos que estivessem superados com o Papa Francisco”, disse a organização liderada pelo padre Helmut Schueller numa declaração divulgada na terça-feira 15.

No dia anterior a Congregação para a Doutrina da Fé havia publicado sua resposta à pergunta: A Igreja dispõe do poder de abençoar as uniões de pessoas gays?

Respondendo negativamente, a CDF disse que “a Igreja recorda que Deus mesmo não deixa de abençoar cada um de seus filhos peregrinos neste mundo, porque para Ele ‘somos mais importantes que todos os pecados que podemos cometer’. Mas não abençoa nem pode abençoar o pecado: abençoa o ser humano pecador, para que reconheça que é parte de seu desígnio de amor e se deixe transformar por Ele. De fato, Ele ‘aceita-nos como somos, mas nunca nos deixa como somos’ ”

A Iniciativa dos Padres de Paróquia foi fundada em 2006 por nove padres de Viena, Áustria. Segundo o website da organização “a iniciativa tem hoje mais de 400 membros do clero da Igreja Católica Romana oficial. Mais de 3.400 leigos professam seu apoio à iniciativa dos padres.”

Leia também
Vaticano: A Igreja Católica não pode dar bênçãos às uniões homossexuais

O grupo defende o fim do celibato obrigatório para padres e o direito de todos os fiéis celebrarem a Eucaristia.

Em seu site, os padres dizem: “Celebramos a Eucaristia como a refeição e o amor do Senhor com todos os que acreditam em Jesus Cristo. Porque Diante de Deus todos são bem-vindos com sua prontidão para a conversão e reconciliação com a mesma dignidade e estima e com os mesmos direitos, homens e mulheres, casados de novo e divorciados, amantes homossexuais e heterossexuais, membros de outras igrejas Cristãs assim como aqueles que foram embora.”

Uma das maiores preocupações do grupo de padres dissidentes é com “os problemas pastorais e humanos e os conflitos de consciência relacionados às leis do casamento vigentes na Igreja Latina.”

Os padres do grupo dizem “seguir sua consciência e lutar por novos rumos na Igreja”. A organização diz buscar como meta “congregações vivazes, estruturas sinodais contemporâneas e acima de tudo uma igreja mundial de mente aberta e com credibilidade que se concentre no serviço sincero às pessoas.”

Em 2012 o Vaticano tirou do Pe. Schueller o título de Monsenhor e sua atribuição honorifica de “Capelão de Sua Santidade” que recebera como diretor da Cáritas na Áustria, segundo a agência Reuters. Pe. Schueller é ex-bispo auxiliar do Cardeal Christoph Schoenbron, Arcebispo de Viena.

Fonte: ACI Digital

Leia também
PODE UMA PESSOA COM TENDÊNCIAS HOMOSSEXUAIS SER UM BOM CATÓLICO?