Categorias
Mundo

China permite ter 3 filhos após taxa de natalidade despencar

Há 5 anos, o governo chinês substituiu a “política de um filho só” pela política de dois filhos. Eles levaram 35 anos para ver que a política do filho único foi um grave erro.

Os governantes comunistas da China disseram à sua população que agora podem ter três filhos, revertendo sua política de longa data de um filho, que há apenas alguns anos se tornou uma política de duas crianças. O Partido Comunista da China, que é sinônimo do governo chinês, fez o anúncio depois que dados do censo revelaram que a taxa de natalidade ainda está caindo.

Preocupada com o cinza de sua população de maioria étnica, em 2016 a China relaxou sua infame política de uma criança para permitir duas crianças. No entanto, apesar de um pequeno aumento imediato, isso não levou a uma tendência duradoura.

De acordo com a BBC, um censo publicado no início deste mês mostrou que “cerca de 12 milhões” de bebês nasceram na China no ano passado, o menor número de nascimentos registrados desde a década de 1960. Isso é menos do que os 18 milhões de bebês nascidos na China em 2016.

David Mulroney, ex-embaixador canadense na China, disse ao LifeSiteNews que “não há vencedores” após a tentativa malthusiana da China, a partir de 1978, de impedir que sua população cresça.

“A guerra de quatro décadas da China contra a família termina sem vencedores”, disse Mulroney. “Durante quarenta anos, o Estado visitou a violência em seu povo, nascido e não nascido, em nome do controle populacional, apenas para chegar agora a um desastre demográfico emergente.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“À medida que o número de idosos se aproxima de 20% da população, o crescimento econômico está diminuindo e os custos de saúde estão subindo. Tendo suprimido impiedosamente qualquer consideração que não seja a economia, os líderes da China estão descobrindo que é precisamente por razões econômicas que muitas jovens chinesas estão declinando para ter filhos.”

A BBC informou que os cidadãos chineses que cresceram sem irmãos e irmãs não valorizam a ideia de ter mais de um ou dois filhos, pensando neles muito problemas ou muito caros para manter. À medida que os chineses se mudam cada vez mais do campo, onde as crianças são valorizadas por sua capacidade de ajudar na agricultura, nas cidades, eles vêem as crianças mais como passivos econômicos.

A BBC informou que os cidadãos chineses que cresceram sem irmãos e irmãs não valorizam a ideia de ter mais de um ou dois filhos, pensando neles muito problemas ou muito caros para manter. À medida que os chineses se mudam cada vez mais do campo, onde as crianças são valorizadas por sua capacidade de ajudar na agricultura, nas cidades, eles vêem as crianças mais como passivos econômicos.

A política dos 2 filhos também falha

O envelhecimento da população, a falta de reposição geracional, a perda de talento e o capital humano são fatores que, na opinião do PPCH, iriam desativou a economia do país.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Enquanto isso, havia milhões de crianças, e mais especificamente meninas, que não podiam dar o primeiro grito. Choramos que podíamos ouvir de suas mães, em muitos casos forçadas a serem internadas e assistir como o Estado matou seus filhos em seu ventre. Chorando de tudo ao contemplar que, em alguns casos, os pequenos corpos acabaram em lixeiras, rios ou simplesmente deitados na rua. O desprezo pela pessoa é total (Horror na China: bebê chora momentos antes de ser jogado no incinerador).

Gritos de pais vendo suas esposas sendo esterilizadas para que não infringissem a lei novamente.

As feministas ficaram em silêncio, assim como a esquerda. Como justificar que, em alguns casos, o aborto foi errado. Era para abrir a porta para o bom senso e o senso moral.

Trinta e cinco anos eles tentaram reverter:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

  • Como não há mulheres para todos, é proposto aos homens compartilhar uma mulher. Tráfico de mulheres, importação de vietnamitas, malaios e coreanos para atender às necessidades sexuais é agora um fato.
  • 400 milhões de seres que não estão lá. Esse é o cálculo do PCC há cinco anos.
  • Multas para mães que têm filhos fora do casamento
  • Lei para forçar as crianças a “voltar para casa com frequência para visitar seus pais”. Os idosos, que na lógica socialista são seres inúteis e improdutivos, ficam indefesos porque não têm aqueles para cuidar deles.
  • Objetificação de mulheres e tráfico de crianças
  • Os ultrassons matam as meninas? Meios econômicos e técnicos para conseguir isso.

Cinco anos depois, os resultados não aparecemn, de acordo com a agência estatal Xinhua, hoje segunda-feira o Politburo do Partido Comunista permitirá ter um terceiro filho:

“As políticas de nascimento serão melhoradas. Serão introduzidas regras que permitirão que um casal tenha filhos, com medidas para apoiar isso. Isso melhorará a estrutura demográfica da China, responderá ativamente a um envelhecimento populacional e manterá os benefícios do dividendo demográfico”, acrescenta o comunicado.

É a primeira reação à publicação do avanço do Censo 2020, em maio deste ano: a população cresce, mas pouco, menos do que na década anterior e a mais lenta desde 1960. É também uma população mais velha. Não há tantos bebês como planejado. E o desequilíbrio de gênero continua porque ainda há muito mais homens do que mulheres.

A inércia é muito grande. O envelhecimento (mais custos), o declínio da mão-de-obra jovem e barata, é provável que superem a China em termos de população antes do previsto. A vida foi forçada a girar em torno de ter apenas um filho, ou uma multa ou prisão ou mutilação. Será difícil sair desse esquema, especialmente nas cidades.

Pior ainda são os efeitos não econômicos: uma geração de filhos de um filho masculino. Sem culpa própria, eles terão crescido sem o ambiente que ajuda as virtudes básicas, uma socialização natural. Talvez sem culpa nossa, teremos em alguns anos uma geração de crianças mimadas povoando e governando uma das grandes potências.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Que nestas escalas tantos milhões de pessoas crescem sem saber qual é a verdadeira fraternidade,não a boba da “fraternidade humana”, a verdadeira, terá suas consequências.

Não poder acessar uma mulher também os terá. Fará do casamento um rótulo social e das mulheres um objeto de importação.

Como Ian Malcom disse em “Jurassic Park”:

Deus cria o dinossauro. Deus destrói o dinossauro. Deus cria o homem. O homem destrói Deus. O homem cria o dinossauro.

Agora os comunistas chineses estão dando permissão para ter um terceiro filho, há dúvidas bem fundamentadas que os chineses querem. Não é tudo dinheiro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com informações de InfoCatólica e LifeSiteNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE