Categorias
Brasil

Cassia Kis é processada após defender as famílias contra Ideologia de Gênero

A filha adotiva da cantora Daniela Mercury e acusa a atriz Cassia Kis de LGBTfobia.

A advogada Márcia Verçosa de Sá Mercury, filha da cantora Daniela Mercury e da empresária Malu Verçosa, entrou com uma ação criminal no Mistério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) contra a atriz Cassia Kis, após uma live com a jornalista Leda Nagle em que a veterana fez declarações homofóbicas. Márcia acusa Kiss de promover LGBTfobia, de incitar violência contra a comunidade LGBT.

No bate-papo, Cassia Kis disse que as relações homossexuais e a “ideologia de gênero” estão destruindo as famílias.

Assista a live na íntegra:

“Não existe mais o homem e a mulher, mas a mulher com mulher e homem com homem, essa ideologia de gênero que já está nas escolas”, disse a atriz. “Eu recebo as imagens de crianças de 6, 7 anos se beijando, duas meninas se beijando, onde há um espaço chamado beijódromo”, prosseguiu, no melhor estilo “kit gay”.

Cássia continuou, lembrando o ensinamento da Igreja Católica, que quando há uma relação entre duas pessoas do mesmo sexo há uma “destruição à vida humana”. “O que está por trás disso? Destruir a família. Destruir a vida humana, na verdade, porque onde eu saiba homem com homem não dá filho, mulher com mulher também não dá filho. Como a gente vai fazer?”, questionou.

Leia também
Descubra o que a Igreja Católica ensina sobre a homossexualidade

Deputado estadual de SP abre processo contra Cássia Kis

Abertamente gay, o ativista LGBT Agripino Magalhães Jr., suplente de deputado estadual de São Paulo, acionou a Justiça após atriz afirmar que a “ideologia de gênero” destrói famílias.

Além de suplente de deputado, Agripino também é presidente da Aliança Nacional LGBT, e já acionou outros famosos na Justiça por declarações “homofóbicas”.

Em nota, a rede Globo também repudiou as declarações da atriz, atualmente no ar na novela “Travessia”.

Com informações do portal Terra.

Leia também
PODE UMA PESSOA COM TENDÊNCIAS HOMOSSEXUAIS SER UM BOM CATÓLICO?