Categorias
Mundo

Cardeal Brandmüller: “Na Alemanha não há apenas um problema de cisma, mas de heresia”

 

Não há apenas um conflito em matéria de direito canônico, de obediência ou desobediência ao Papa e à Cúria. Pontos mais importantes estão em jogo: são fundamentais da fé e baseadas na Revelação divina.

Em um artigo publicado no site Kath.net, o Cardeal Walter Brandmüller explica o verdadeiro significado dos termos cisma e heresia.

O Purpurado afirma que ambos os termos podem ser aplicados à situação pela qual passa a Igreja na Alemanha.
O cisma consiste na ruptura da comunhão na Igreja, explica Cardeal Brandmüller

O Cardeal Brandmüller explica que o cisma consiste na ruptura da comunhão na Igreja, que geralmente está associado à desobediência ou à falta de sujeição à autoridade do Papa, embora no caso do chamado Cisma do Ocidente, o problema fosse a existência de várias “Papas” ao mesmo tempo.

Com o Cisma do Ocidente, que levou quarenta anos para ser superado, a unidade hierárquica da Igreja foi quebrada, mas a unidade na fé não foi afetada. Assim, pode acontecer que Santa Catarina de Siena ficasse do lado de Urbano VI, enquanto São Vicente Ferrer se mantivesse firme com Clemente VII.

Purpurado alemão explica a situação atual em seu país

“Aqui não é apenas um conflito em matéria de direito canônico, de obediência ou desobediência ao Papa e à Cúria, o que poderia ser resolvido de boa vontade …

Pelo contrário, em nosso caso, coisas muito mais importantes estão em jogo.

O conflito “Roma-Alemanha” se refere às verdades fundamentais da fé baseadas na revelação divina”.

Para citar apenas os pontos mais mencionados:

“Os bispos questionam inclusive a indissolubilidade do matrimônio e exigem que a Igreja reconheça o novo casamento dos divorciados.

A concessão do sacramento das Ordens sagradas também é exigida – por enquanto no nível mais baixo do diaconato – às mulheres.

Ambas as demandas são baseadas na negação das verdades da fé, adicionando heresia ao cisma. Mas com isso, os fundamentos da fé católica são abandonados e, com isso, a adesão à Igreja Católica.”

Na Alemanha, as palavras, cisma e heresia, são uma “ameaça” que pode tornar-se realidade

O Cardeal Walter Brandmüller destaca que “é essencialmente diferente quando um cisma está relacionado com heresia, falsa doutrina ou é baseado nela”.

E o Purpurado ainda diz que se pode afirmar que, na Alemanha, ambas as palavras, cisma e heresia, são uma “ameaça” que pode tornar-se realidade se “for cumprido o caminho percorrido em Frankfurt”, na Assembleia Sinodal.

Fonte: GaudimPress