Categorias
Análise e Opinião

Bispos e padres revolucionários começam a sofrer oposição dos católicos dentro da Igreja

Cresce a resistência aos progressistas (esquerdistas) dentro da Igreja.

A avalanche modernista e revolucionária que se abateu sobre a Igreja Católica a partir da década de 60, tem conseguido aquilo que nem mesmo os piores inimigos da Igreja jamais imaginaram alcançar: a implosão da Igreja, colocando parte de suas forças atuando contra ela mesma, para destruí-la, rompendo sua unidade operacional e fazendo-a negar sua missão sublime, recebida de seu divino fundador que lhe incumbiu de anunciar a verdade do Evangelho a todas as nações, chamando todos os povos a obediência da fé.

Após o Concílio Vaticano II, embora a doutrina da Igreja permanecesse a mesma, a lógica de boa parte dos homens da Igreja se inverteu, o que refletiu na forma destes verem e atuarem no mundo. Se para estes, antes, a Igreja era o instrumento de Deus para converter e santificar o mundo, tudo então mudou… a partir de então, muitos bispos e padres adotaram a prática inversa, acolhendo práticas e mentalidades mundanas (e mesmo anticatólicas) para que a Igreja pudesse ser vista pelo mundo como uma instituição moderna, afinada com os novos tempos e em sintonia com os anseios dessa nova geração.

Passaram-se mais de 50 anos desde o fim do Concílio Vaticano II e da adoção, pela maioria dos bispos, das novas diretrizes pastorais, e na medida em que o desastre da implantação das novas ideias se fazia visível e palpável, foram surgindo algumas vozes críticas e alguns movimentos que visavam a restauração da sã doutrina, da moral católica que o movimento modernista vinha destruindo.

O esforço de retorno a integridade da fé ganhou mais força no fim do governo de João Paulo II e sobretudo durante o reinado de Bento XVI, mas começou a ser sistematicamente combatido durante o governo do Papa Francisco, um dos grandes expoentes do progressismo revolucionário.

O movimento conservador dentro da Igreja acontece junto com o despertar de um movimento conservador fora da Igreja, seja no campo acadêmico, político ou social.

A internet, apesar de todas as suas mazelas e armadilhas, é o que tem possibilitado a convergência, uma certa unificação e o fortalecimento dessa forma de pensamento; e o efeito disso tem sido cada dia mais forte.

Os bispos e padres modernistas/revolucionários, que antes, em suas respectivas dioceses e paróquias, incultiam no povo suas ideias como se fossem a “doutrina da Igreja”, muitas vezes ensinando ou impondo práticas contrárias a orientação da Igreja “em nome da obediência”, começaram a sofrer a oposição de fiéis que passaram a escutar no whatsapp ou assistir na internet a voz de padres ou leigos católicos a quem havia sido negado espaço dentro da instituição.

Aos poucos, muitos fiéis católicos começaram a se dar conta que foram enganados (ainda que não intencionalmente por parte de alguns) por grande parte dos padres e bispos que estão a frente do povo de Deus, mas não ensinam a doutrina e a moral católica, nem celebram a liturgia como manda a Igreja.

Com a facilitação para se obter informações e comparar dados, o povo católico tem aprendido mais sobre sua a verdade, a solidez e a riqueza de sua fé.

Munidos dessas informações ensinadas por bons padres, alguns raros bispos ou mesmo outros fiéis leigos, o povo começou a comparar a verdade da Igreja Católica com o que tem sido ensinado em suas paróquias e dioceses, constatando assustados que tinham aprendido muitas coisas erradas… que vários padres e bispos, em muitos pontos, não seguiam nem a Palavra de Deus, nem a doutrina da Igreja.

Por terem enxergado a diferença entre o que a Igreja ensina e o que muitos padres e bispos pregam, muitos dentre o povo começaram a se manifestar, mostrando sua inconformidade com essa situação.

Ultimamente o povo católico tem visto, cada vez mais, como o modernismo e o movimento revolucionário estão minando e destruído a Igreja desde dentro; assim como quantidade imensa de sacerdotes e bispos atuando nessa demolição; alguns destes, na ilusão de estarem no caminho certo, mesmo em contradição com a doutrina da Igreja, por eles desconhecida ou deturpada.

No campo político, a maioria do povo, mesmo que imperfeitamente, começou enxergar a malícia e a podridão da esquerda socialista/revolucionária que sempre defendeu o aborto, a ideologia de gênero, a legalização das drogas e outras bandeiras anti cristãs, tantas vezes apresentadas como defesa de “Direitos Humanos”… As pessoas foram se dando conta de que essas ideias são contra a nossa fé e portanto contra a vontade de Deus. Que esquerda revolucionária significa oposição aos valores e à moral cristã.

Quanto mais claro vai ficando que os partidos e políticos da esquerda socialista/comunista/revolucionária defendem essas ideias anti cristãs, tanto mais fica claro que uma pessoa NÃO pode ser da esquerda socialista/revolucionária e cristã ao menos tempo.

Em uma live histórica feita pelo condenado Lula e Leonardo Boff, estes confessaram com toda clareza como instrumentalizaram a estrutura da Igreja Católica para formar o PT, partido socialista e defensor do aborto, parido dentro da Igreja pela ação de padres e bispos socialistas revolucionários que perderam a fé católica.

Na sequência dos acontecimentos, 152 bispos vermelhos/revolucionários, depois apoiados por mais de 1.150 padres, igualmente esquerdistas, assinaram uma carta protesto contra o atual governo, fazendo eco as mesmas falsas acusações e se utilizando das mesmas ideias e expressões dos partidos de esquerda…

Esses eventos, ajudaram muito a abrir os olhos de numeros católicos para fazê-los enxergar a profundidade do mal que se infiltrou em nossa Igreja.

Envergonhados e indignados os católicos se perguntam: como é possível esses bispos e padres se alinharem a ideologias condenadas pela Igreja? Como é possível estes bispos e padres darem suporte a partidos socialistas que defendem o aborto, a ideologia de gênero, a legalização das drogas e outras práticas firmemente condenas pela Igreja?

Como é possível que não tenham se manifestado quando defensores do aborto como Lula, Dilma, pediram votos para os católicos?
Pior… como é possível que inúmeros padres e bispos tenham apoiado abertamente e recomendado o voto em candidatos abortistas e anti cristãos como o PT?

Para pavor do atual presidente da CNBB, os católicos do Brasil (e do mundo) vão se dando conta que a Igreja Católica é essencialmente conservadora e que a expressão política dos católicos na sociedade civil não pode ser diferente. Assim, na medida que os católicos vão conhecendo melhor sua fé, cresce entre eles a rejeição a esquerda revolucionária e o apoio ao conservadorismo político, pois vão constatando que são os pensadores, comunicadores e os poucos bons políticos conservadores que lutam pela liberdade contra o socialismo/comunismo, pela vida contra o aborto, pela família contra as ideologias de gênero e LGBT; que são estes pensadores, comunicadores e políticos conservadores que defendem, em sua maioria, os valores que nós católicos acreditamos e defendemos.

A consequência dessa constatação tem sido o desprezo e a aversão cada vez maiores e mais profundos à esquerda revolucionária, a sua agenda e a seus métodos… e também a seus agentes; e inversamente, a adesão e militância, cada vez mais enganjada, pelos princípios conservadores que estão em sintonia com os valores de nossa fé cristã.

Parte do povo católico já iniciou um movimento de resistência a ação esquerdista/revolucionária que está atuando a décadas dentro da Igreja. Está se levantando contra os promotores dessa agenda esquerdista/progressista. Por isso, os padres e bispos que atuam como militantes e defendem essas ideias esquerdistas têm perdido o respeito dos fiéis católicos que não se vêem representados por estes pastores que pensam e ensinam de forma contrária a Igreja.

Se não houver uma mudança de postura por parte desses bispos e padres revolucionários que usam de seus cargos e de momentos de celebração para promover essas ideologias de esquerda, iremos assistir, cada vez mais, fiéis se levantando para confronta-los nessas mesmas celebrações, tal como já têm feito nas redes sociais.

É incrível como esses padres e bispos esquerdistas se tornaram cegos e indiferentes às principais necessidades do povo de Deus, que está vagando confuso e desorientado, caindo em diversos erros, por falta de boa direção e de sólido alimento espiritual.

Essa Pandemia do vírus chinês, escancarou a superficialidade do zelo da maioria de nossos pastores, que se esconderam com medo da doença, enquanto suas ovelhas ficaram a mercê do pavor e da confusão incultidos pelos grandes meios de comunicação, o que propiciou a manipulação e o confisco, por meio de governantes autoritários, de direitos fundamentais, como ir e vir, trabalhar e outros…

Se apoiando exclusivamente em autoridades governamentais e sanitárias, e desprezando o mandato divino e o testemunho de 2 mil anos de história, a grande maioria dos bispos e padres fecharam as portas da Igreja, deixando-se ver apenas virtualmente, abandonado o rebanho à sua própria sorte em um momento mais do que crítico…

É impossível imaginar Jesus agindo assim!!!

É impressionante observar a histérica insistência desses padres e bispos para que TODOS os fiéis obedecessem as regras das autoridades governamentais para perseverarem a saúde física, contrastando com a inexplicável omissão em relação ao ensino das Lei de Deus e da Igreja que garantiriam ao povo a salvação de sua alma imortal.

Em 1980 mais de 90% do povo brasileiro se declarava católico, hoje, 40 anos depois, são por volta de 55%…

Por culpa dos maus pastores o número de católicos diminui a cada dia, na mesma proporção que cresce o número de protestantes e evangélicos; e a maioria destas autoridades católicas parece ser simplesmente incapaz de perceber as causas do problema. Não compreendem que se os padres e bispos cumprissem sua missão e ensinassem aos fiéis doutrina Católica de verdade, celebrassem de modo devoto e correto os sacramentos da Igreja e se esforçassem para dar bom testemunho de vida, já seria suficiente para conservar a boa consciência de todo um povo, donde sairia uma ordem social mais justa e melhores governantes.

Está na consciência e nas contas do clero das últimas décadas, especialmente dos bispos, a maior parte do peso e da responsabilidade da miséria material e da decadência moral na qual nos encontramos, por terem entregue o povo aos lobos revolucionários que corromperam os valores e saquearam a nação, gerando pobreza, violência, desagregação familiar, degeneração da infância e da juventude e todos os males que superabundam onde a Palavra de Deus deixa de ser ensinada pelos e sacerdotes e vivida pelo povo.

Resta ao povo recorrer a oração e a penitência, pelas suas falhas e de seus pastores e buscar orientação na imutável doutrina da Igreja, presente na Palavra de Deus, no Catecismo e documentos do Sagrado Magistério, pregada ainda pelos poucos sacerdotes e raros bispos que têm a coragem de ensina-la de maneira integral e sem falsificação, na contramão da maioria revolucionária de nosso tempo.

Sabemos que Deus nunca abandona sua Igreja e meterá a mão em toda essa bagunça para purifica-la, mas até lá, cabe a nós que temos a ventura de crer, a missão de rezar e lutar para manter e restaurar a vontade de Deus em nós, dentro de sua Igreja e na sociedade.

Templário de Maria