Categorias
Vaticano

Bento XVI participará de ato de Consagração da Rússia

O Papa Emérito Bento XVI se juntará ao Papa Francisco e aos bispos do mundo em oração pela consagração da Rússia e da Ucrânia em 25 de março.

Espera-se que ele o faça em particular, no entanto, e não esteja presente na cerimônia de consagração na Basílica de São Pedro.

A CNA Deutsch, agência de notícias irmã alemã da CNA, confirmou esses detalhes no domingo com o secretário pessoal do papa aposentado, o arcebispo Georg Gänswein.

“É claro que o Papa Emérito Bento XVI se juntará ao chamado do Papa Francisco em oração no que diz respeito à consagração da Rússia e da Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria”, escreveu Gänswein em um e-mail para a agência de notícias.

O Papa Francisco concordou em conduzir a consagração dos dois países em resposta a um pedido urgente dos bispos do rito latino da Ucrânia. Desde então, o Vaticano confirmou um relatório da CNA de 17 de março que o Papa pediu a todos os bispos do mundo que se juntassem a ele na consagração.

O Papa convida todos os bispos a se juntarem à Consagração da Rússia e da Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria

Em uma carta datada de ontem, 17 de março e dirigida ao presidente da Conferência dos Bispos Católicos dos EUA, o Arcebispo José H. Gomez, o Arcebispo Christophe Pierre atual Núncio Apostólico para os Estados Unidos, fornece um aviso formal sobre a próxima consagração a ser feita pelo Papa Francisco da Rússia e da Ucrânia e pede ao Arcebispo Gomez que dê aviso a toda a Conferência.

Sua Excelência,
no contexto dos trágicos acontecimentos na Ucrânia, o Santo Padre, o Papa Francisco conduzirá um Ato de Consagração da Rússia e da Ucrânia ao Imaculado Coração
de Maria na Festa da Anunciação, em 25 de março seguinte.
O Santo Padre pretende convidar cada Bispo, ou equivalente em lei, juntamente com seus sacerdotes, para se juntar a este ato de consagração, se possível, na época correspondente a 5 p.m. Tempo de Roma. Nos próximos dias, o Santo Padre abordará uma carta de convite aos Bispos, anexando o texto da Oração da Consagração nas diversas línguas. Escrevo
agora, pedindo-lhe para informar os membros da USCCB e, através deles, os sacerdotes das várias dioceses e eparchies do país, sobre o convite do Santo Padre.
As mesmas informações serão compartilhadas com autoridades federais em Washington, D.C. e com o Corpo Diplomático desta capital. Um convite é estendido aos membros do mesmo Corpo para participar de uma missa oferecida pelo Cardeal Wilton Gregory, Arcebispo de Washington, na Basílica do Santuário Nacional da Imaculada Conceição às 12h de sexta-feira, 25 de março.
Grato por sua colaboração, garanto-lhe dos meus melhores desejos.

Na próxima sexta-feira, 25 de março, durante a Celebração da Missa que presidirá às 17h.m na Basílica de São Pedro, o Papa Francisco consagrará a Rússia e a Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria. O mesmo ato, no mesmo dia, será realizado em Fátima pelo Cardeal Krajewski, Almoner Apostólico, como enviado do Santo Padre.” A Consagração acontecerá no mesmo dia em que São João Paulo II consagrou o mundo inteiro ao Imaculado Coração de Maria em 1984.

Este evento histórico vem após o recente pedido dos bispos ucranianos ao Papa para realizar esta Consagração, solicitada há 100 anos por Nossa Senhora de Fátima. Recentemente, em 2 de março, logo após o início da guerra na Ucrânia por causa da invasão da Rússia, os bispos da Ucrânia pediram ao Papa Francisco para realizar publicamente o ato de consagração ao Sagrado Coração Imaculado de Maria da Ucrânia e rússia, como solicitado pela Virgem Santíssima em Fátima. Um pedido que foi ouvido pelo Santo Padre e que os bispos ucranianos agradeceram publicamente.

Confirmado pelo Vaticano

“O Papa Francisco convidou bispos de todo o mundo e seus sacerdotes para se juntarem a ele para rezar pela paz e consagrar e confiar a Rússia e a Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria.” Isso foi confirmado pelo diretor da Assessoria de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni, respondendo a perguntas de jornalistas.

O Papa fará a oração na tarde desta sexta-feira, 25 de março, na Festa da Anunciação, na Basílica de São Pedro, durante a celebração da Penitência marcada para as 17h.m. O mesmo ato, no mesmo dia, será realizado por todos os bispos do mundo. O Cardeal Konrad Krajewski, pontifício almoner, o realizará em Fátima como enviado do Papa.

Já no Angelus de 13 de março, o Papa havia convidado toda a Igreja a orar: “Peço a todas as comunidades diocesanas e religiosas que aumentem os momentos de oração pela paz”. Na audiência geral em 23 de fevereiro, ele pediu um dia de oração e jejum pela paz na Ucrânia na Quarta-feira de Cinzas, afirmando: “Que a Rainha da Paz preserve o mundo da loucura da guerra”.

Na aparição de 13 de julho de 1917 em Fátima, Nossa Senhora havia pedido a consagração da Rússia ao seu Coração Imaculado, afirmando que se esse pedido não fosse concedido, a Rússia espalharia “seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições da Igreja”. “Os bons”, acrescentou, “serão martirizados, o Santo Padre terá muito a sofrer, várias nações serão destruídas.”

Após as aparições de Fátima houve vários atos de consagração ao Imaculado Coração de Maria: Pio XII, em 31 de outubro de 1942, consagrado o mundo inteiro e em 7 de julho de 1952 especificamente consagrado Rússia ao Imaculado Coração de Maria com a Letra Apostólica Sacro vergente anno, em face da situação dos cristãos forçados a viver em um regime ateosteístico.

Paulo VI em 1964 e João Paulo II em 1981, 1982 e 1984 renovaram esta consagração para toda a raça humana. Papa Wojtyla, referindo-se ao pedido de Nossa Senhora em Fátima em 25 de março de 1984, na Praça de São Pedro, em união espiritual com todos os bispos do mundo, confiado ao Imaculado Coração de Maria todos os povos e de forma especial aos homens e nações que precisam especialmente desta confiança e consagração.

Em junho de 2000, quando a Santa Sé revelou a terceira parte do segredo de Fátima, o então secretário da Congregação para a Doutrina da Fé, arcebispo Tarcisio Bertone, ressaltou que Irmã Lúcia havia confirmado pessoalmente que o ato de consagração realizado por João Paulo II em 1984 correspondia ao que Nossa Senhora havia pedido.

Agora, em 25 de março, o Papa Francisco consagrará a Rússia junto com a Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria em comunhão com bispos de todo o mundo.