Categorias
Mundo

Bento XVI: “Não existem dois papas, o Papa é um só”

 

Bento XVI esclarece isso em uma entrevista publicada pelo Il Corriere della Sera no aniversário de sua histórica renúncia.

“Foi uma decisão difícil”, confessa o pontífice emérito, “mas levei-a a sério e acho que me saí bem.” “Alguns de meus amigos um tanto ‘fanáticos’ ainda estão zangados, eles não querem aceitar minha decisão”, disse Bento XVI oito anos depois de deixar o papado.

“Penso nas teorias da conspiração que se seguiram: alguns disseram que foi por causa do escândalo Vatileaks, outros que foi uma conspiração do lobby gay, outros que foi o caso do teólogo conservador Lefebvrist Richard Williamson. Eles não querem acreditar em uma decisão consciente. Mas minha consciência está limpa ”, diz Ratzinger.

Leia também
Oito anos se passaram desde o fim do pontificado de Bento XVI

Também falou sobre a viagem que o Papa fará ao Iraque dentro de alguns dias: “Acho que é uma viagem muito importante. Infelizmente, ele cai em um momento muito difícil que também o torna uma jornada perigosa: por razões de segurança e para o Covid. E depois há a situação instável do Iraque. Vou acompanhar o Francisco com a minha oração ”.

Sobre Biden, o segundo presidente católico depois de Kennedy, Ratzinger expressa algumas reservas no nível religioso. “É verdade, ele é católico e praticante. E pessoalmente ele é contra o aborto ”, afirma. “Mas como presidente, ele tende a se apresentar em continuidade com a linha do Partido Democrata … E na política de gênero ainda não entendemos totalmente qual é a sua posição.”

Leia também
Em entrevista Papa Francisco diz que não descarta uma eventual renúncia