Arquidiocese alemã planeja cortar paróquias de 1.000 para apenas 40

Em uma carta de 14 de julho à equipe arquidiocesana, o arcebispo Burger descreveu a proposta como uma “resposta adequada aos desafios que nossa arquidiocese enfrenta”.

FREIBURG Alemanha – Uma arquidiocese alemã está avançando com planos de reduzir drasticamente o número de suas paróquias, apesar da decisão do Vaticano de bloquear um plano semelhante em outra diocese.

A CNA Deutsch, parceira de notícias em língua alemã da CNA, informou em 15 de julho que o arcebispo Stephan Burger pretende transformar as mil paróquias da arquidiocese em 40 mega paróquias.  

Em uma carta de 14 de julho à equipe arquidiocesana, o arcebispo Burger descreveu a proposta como uma “resposta adequada aos desafios que nossa arquidiocese enfrenta”.

Ele disse: “No momento, não vejo razão para fazer alterações nos objetivos e nas principais características do projeto.” 

A Arquidiocese de Freiburg, que tem quase 1.000 padres e atende 1,8 milhão de católicos, está localizada no estado de Baden-Württemberg, no sudoeste da Alemanha. Segundo as estatísticas oficiais publicadas em junho, 22.287 pessoas deixaram formalmente a Igreja na arquidiocese em 2019. 

O projeto de reorganização, conhecido como “Desenvolvimento da Igreja 2030”, está atualmente sendo discutido em decanatos. O feedback deles resultará em um segundo rascunho. Após uma discussão mais aprofundada, uma decisão final será tomada sobre o programa até o final do ano. 

O Vaticano interveio no mês passado para impedir a diocese de Trier, localizada no oeste da Alemanha, perto da fronteira com o Luxemburgo, de fundir suas 887 paróquias em 35 paróquias maiores, após um sínodo diocesano de três anos.

Leia também:
Padre Ricardo de Barros: “A situação da Igreja na Alemanha é muito séria”

 

Ajude a manter nosso apostolado. Clique aqui para visitar nossa Loja Virtual

 

A diocese disse que dois departamentos do Vaticano – a Congregação para o Clero e o Conselho Pontifício para Textos Legislativos – levantaram preocupações sobre “o papel do pastor na equipe de liderança da paróquia, o serviço de outros padres, a concepção do paróquias, o tamanho das futuras paróquias e a velocidade de implementação. ”

A diocese de Trier está agora trabalhando em um novo plano para abordar as objeções do Vaticano. 

O site oficial do “Desenvolvimento da Igreja 2030” argumentava que as preocupações do Vaticano não se aplicavam ao programa da arquidiocese de Freiburg. 

“Para a arquidiocese, esta decisão da Congregação para o Clero atualmente não tem consequências. De acordo com o cânon 515 §2, é “apenas o bispo diocesano” quem pode estabelecer, abolir ou mudar paróquias; desde que o devido processo seja cumprido ”, afirmou. 

“Apesar da suspensão atual da implementação das decisões da assembléia sinodal de Trier, acreditamos que nem a Congregação para o Clero nem o Pontifício Conselho para Textos Legislativos restringirão esse direito fundamental do bispo de exercer seu ministério pastoral.”

Leia também:
“Sínodo Alemão” inicia com polêmicas: mulheres no altar e fim do celibato