Categorias
Aborto Notícias

Aborto matou 42,4 milhões de bebês no mundo em 2019, 3 vezes mais que doenças

 

A principal causa de mortes em todo o mundo ao longo de 2019 foi a prática do aborto. Uma estatística levantada a partir de números coletados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Embora alguns abortos possam não ter sido contabilizados, a organização Worldometers divulgou que 42,4 milhões de interrupções de gravidez foram realizadas no último ano. “Segundo a OMS, todos os anos no mundo há cerca de 40 a 50 milhões de abortos. Isso corresponde a aproximadamente 125 mil abortos por dia”, destacou o relatório da entidade.

O aborto se consolidou como a maior causa de mortes no planeta, representando mais da metade do número total de mortes por qualquer outra causa (58,6 milhões), segundo informações do portal pró-vida Life News.

Se apenas o número total de mortes por doenças for levado em consideração (13 milhões), o número de abortos é três vezes maior.

“Os 56,3 milhões de abortos globais que o Guttmacher estima anualmente, não mais do que 10% pode ser oficialmente contabilizados e apenas 23% têm base na evidência empírica”, disse Michael Spielman, fundador do projeto pró-vida Abort73. “Os outros 77% são assumidos com base em um complexo modelo estatístico que estima uma variedade de fatores”, acrescentou.

Em 2018 foram identificados números semelhantes no ano passado, levando agências de verificação de fatos – como a Snopes – a tentarem minimizar a notícia “não contestando os números, mas argumentando que o aborto não deve ser considerado uma ‘causa de morte’”.

O Worldometers rastreia e estima estatísticas em tempo real sobre uma ampla variedade de assuntos, com base em dados de fontes como a ONU, a OMS, o Fundo Monetário Internacional (FMI), entre outras. A organização é reconhecida e mencionada em uma ampla variedade de meios de comunicação e trabalhos acadêmicos, bem como o endosso da American Library Association.

Em 2020, apenas até essa quinta-feira, 09 de janeiro, a organização já contabilizou mais de um milhão de abortos em todo o mundo.