Categorias
Campanha da Fraternidade

A CNBB quer saber sua opinião sobre Campanhas da Fraternidade 2023 e 2024

A oportunidade que católicos de todo Brasil esperavam chegou. As manifestações sobre os graves problemas da Campanha da Fraterndade 2021 surtiram efeito e agora a CNBB quer saber a sua sugestão para o tema das próximas campanhas da Fraternidade.

Não perca essa oportunidade de mostrar aos responsáveis da CNBB o que realmente os católicos brasileiros precisam: Catequese, Liturgia, Oração, Sacramentos, Defesa da Vida, uma boa formação católica para os sacerdotes e seminaristas, o fim da Teologia da Libertação dentro da Igreja e principalmente que não seja realizada durante o período da Quaresma.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) abriu uma consulta eletrônica sobre o tema, o lema e a inspiração bíblica das Campanhas da Fraternidade (CF) de 2023 e 2024. O secretário-executivo de Campanhas da CNBB, padre Patriky Samuel Batista, disse que o processo tem o objetivo de fazer com que “os cristãos católicos brasileiros redescubram o valor e a importância da Campanha da Fraternidade”.

A ideia da consulta surge depois que a CF deste ano desagradou católicos e gerou polêmica. O texto da campanha dizia que “é importante salientar que as relações sociais de classe, de gênero, de raça, de etnia estão historicamente interligadas”. Em seguida, dizia que um “grupo social que sofre as consequências da política estruturada na violência e na criação de inimigos, é a população LGBTQI+”, e citou dados do ‘Grupo Gay da Bahia’.

Leia também
A Campanha da Fraternidade sequestrou a Quaresma

Em abril, durante a 58ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, os bispos discutiram a repercussão gerada pela Campanha da Fraternidade Ecumênica 2021, apontaram inconsistências no texto-base e reagiram às polêmicas. Na ocasião, o presidente da CNBB, dom Walmor Oliveira de Azevedo, disse que as contribuições e reflexões foram transparentes e sinceras “inaugurando um tempo muito importante em vista de um diálogo maduro e qualificado”.

A consulta eletrônica adotada agora teve início em 30 de setembro e estará aberta até o próximo dia 30 de outubro. Segundo padre Patrick Samuel, as sugestões devem estar em sintonia com o objetivo geral da Campanha da Fraternidade, isto é, “despertar a solidariedade nos fiéis e na sociedade em relação a um problema concreto que envolve a sociedade brasileira, buscando caminhos de solução à luz do Evangelho”. “Celebrada no período quaresmal a Campanha da Fraternidade nos convida a imitar a misericórdia do Pai repartindo o pão com os necessitados, fortificando nosso espírito fraterno”, disse.

Para o secretário-executivo de Campanhas da CNBB, “a participação de todo mundo é muito importante e agora oferecemos uma oportunidade a mais, além dos concursos do hino e cartaz, de fazer parte da CF”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além do tema, lema e inspiração bíblica, os interessados em participar poderão apresentar outras sugestões para aprimorar a campanha. As sugestões serão feitas por meio deste formulário on-line disponibilizado pela CNBB. No dia 10 de novembro, os bispos que integram o Conselho Pastoral Episcopal da CNBB irão analisar as sugestões em sua próxima reunião. Nesta data, será escolhido o tema da CF 2023.

A Campanha da Fraternidade é realizada anualmente pela CNBB no período da quaresma, desde 1964. A cada cinco anos, é promovida como uma campanha ecumênica, como aconteceu neste ano de 2021, com o tema “Fraternidade e diálogo: compromisso de amor”.

Leia também
Escárnio contra os Católicos: Campanha da Fraternidade 2021

Quando é ecumênica, o texto-base da campanha é preparado pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC), do qual também faz parte a Igreja Católica no Brasil.

Durante a 58ª Assembleia Geral da CNBB foi provado o tema da Campanha da Fraternidade de 2022, “Fraternidade e Educação”, que celebra os 40 anos da Pastoral da Educação no Brasil. O lema será “Fala com sabedoria, ensina com amor” (Pr 31, 26).

Fonte ACI Digital

As sugestões serão feitas por meio deste formulário on-line disponibilizado pela CNBB

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE