Categorias
Mundo

Por que o massacre de dezenas de católicos em Pentecostes não é um “escândalo mundial”?

Mais de 50 católicos foram brutalmente assassinados durante a missa de pentecostes em uma igreja na Nigéria. Porque não se tornou um escândalo mundial?

O padre mexicano Eduardo Hayen e o padre espanhol Juan Manuel Góngora perguntam por que o massacre perpetrado no domingo (5), Solenidade de Pentecostes, em uma igreja católica na Nigéria, não é um “escândalo mundial”.

“Se o massacre tivesse acontecido em um bar de Madri, Paris ou Nova York teria sido um escândalo planetário, mas é a Nigéria… e são cristãos”, escreveu Eduardo Hayen, que trabalha como diretor do jornal Presença da diocese mexicana de Ciudad Juárez.

Embora vários meios de comunicação internacionais tenham divulgado notícias sobre o massacre ocorrido no domingo (5), na igreja de São Francisco Xavier em Owo, estado de Ondo, Nigéria, onde dezenas de pessoas morreram, ainda não há pronunciamentos de organizações internacionais ou líderes políticos.

Vários usuários nas redes sociais acusam militantes islâmicos da etnia fulani pelo massacre.

Padre Góngora, que será premiado pela plataforma HazteOír por sua defesa dos valores cristãos no Twitter, onde tem mais de 51 mil seguidores, comentou que “diante do martírio de 50 cristãos na Nigéria nas mãos de fanáticos jihadistas, lembremos que essa perseguição brutal é silenciada”.

Góngora publicou junto com o tuíte uma imagem de uma cruz ao lado da frase Christian Lives Matter (Vidas cristãs importam).

A fundação pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (ACN) pediu em comunicado que os líderes políticos e religiosos do mundo “condenem firme e explicitamente este ataque terrorista”, cometido “no domingo de Pentecostes”.

Orações pelas vítimas do massacre de cristãos católicos

“A barbárie dos maus é tremenda, o testemunho dos bons vai brilhar muito mais. Descansem em paz. Uma oração pelos cristãos deste país”, escreveu no Twitter Francisco Javier “Patxi” Bronchalo, padre da diocese espanhola de Getafe.

“Estamos tristes com o ataque em Pentecostes a uma paróquia católica na Nigéria, na qual dezenas de pessoas foram mortas. Rezo pelas famílias das vítimas e pelos cristãos que, em tantos lugares, não podem viver sua fé livre e normalmente”, disse o arcebispo de Madri, cardeal Carlos Osoro.

O bispo auxiliar do México, dom Salvador González Morales, ofereceu sua “oração e proximidade espiritual pelos irmãos e irmãs da Igreja de São Francisco Xavier na Nigéria, uma oração confiada pelos defuntos e uma súplica para que a violência e a intolerância terminem!”

“As imagens do massacre de cristãos em #OWO, Nigéria, são terríveis. Irreproduzíveis. Como é possível matar em nome de Deus? Como pudemos deixar morrer em nossos corações que Deus, o verdadeiro Deus, é compaixão, paz, cuidado, ternura, misericórdia?”, perguntou do Sergio Buenanueva o bispo de San Francisco, na Argentina. “Rezemos por nossos irmãos católicos martirizados enquanto celebravam Pentecostes. Que o sangue deles, unido ao Sangue do Cordeiro inocente, traga paz a esse povo, arrependimento e conversão para seus algozes. Lamentamos essas vítimas. Todas as vítimas”.

Papa reza pela conversão dos “cegos pelo ódio” responsáveis por massacre na Nigéria

O papa Francisco, diante do massacre de cristãos em uma igreja da Nigéria em Pentecostes, “reza pela conversão daqueles que estão cegos pelo ódio e pela violência, para que possam escolher o caminho da paz e da justiça”, disse o secretário de Estado da Santa Sé, cardeal Pietro Parolin.

Homens armados invadiram a igreja de São Francisco Xavier, em Owo, no Estado de Ondo, durante a Solenidade de Pentecostes, no domingo (5).

Não há um número oficial de mortos, mas autoridades nigerianas falam em pelo menos 50.

As suspeitas sobre a autoria do massacre recaem sobre militantes islâmicos da etnia fulani, ou sobre o grupo terrorista islâmico Boko Haram.

Em telegrama enviado a dom Jude Ayodeji Arogundade, bispo de Ondo, Nigéria, foi dito que “o papa Francisco está profundamente triste ao saber do terrível ataque à igreja de São Francisco em Owo”, informou Parolin.

“Sobre vocês e os fiéis da diocese, o papa Francisco invoca as bênçãos divinas de consolo e fortaleza, enquanto continuam vivendo com fidelidade e coragem a mensagem do Evangelho”

Em seu telegrama, Francisco encomendou “as almas dos mortos à misericórdia de Deus Todo-Poderoso” e implorou “cura e consolação divina aos feridos e aos que choram”.