Categorias
Pandemia

Vereadores congratulam padre que criticou medidas que tiram a liberdade na pandemia

 

A Câmara dos vereadores de Rio Preto, no interior de SP, parabenizou o padre Oscar pela coragem em criticar as medidas ditatoriais que tiram a liberdade do povo durante a pandemia.

A Câmara de Rio Preto aprovou nesta terça-feira, 27, por 12 votos, o requerimento de congratulação ao padre Oscar Donizete Clemente, da paróquia Imaculado Coração de Maria, em Rio Preto que, durante missa transmitida ao vivo no último dia 2, Sexta-Feira Santa, criticou as medidas restritivas impostas pelo governo de São Paulo e chamou o governador João Doria (PSDB) de “imundície”. Além disso, o padre ainda fez ilações a países como Venezuela e Bolívia.

O discurso de Clemente foi feito durante a homília da celebração, transmitida de maneira virtual. O pároco do bairro Santa Cruz atribuiu as restrições à influência do “Partido Comunista Chinês”, além de chamar os comunistas de “vagabundos”. “Por que isso está acontecendo? Por causa do partido comunista chinês. Este bando de vagabundo não quer mais que Deus esteja presente. Então vamos distanciar, afastar o povo de Deus. Se a gente não reagir, se a gente não bater de frente com esses vagabundos políticos, o Brasil vai ser um país comunista”. Ele afirmou ao Diário que não se arrepende das afirmações.

O padre afirma ainda que “na Venezuela, as autoridades políticas estão fazendo os chefes de famílias, depois de serem torturados, comer as folhas da Bíblia”. Sobre a Bolívia, disse que não seria mais permitido evangelizar. Disse depois que não sabia que suas afirmações eram fake news.

Assista o vídeo:

O requerimento foi apresentado pelo vereador Anderson Branco (PL). Além dele, votaram a favor do requerimento Bruno Marinho (Patriota), Bruno Moura (PSDB), Cláudia de Giuli (MDB), Francisco Júnior (DEM), Jean Charles (MDB), Jorge Menezes (PSD), Júlio Donizete (PSD), Karina Caroline (Republicanos), Odélio Chaves (PP), Paulo Pauléra (PP) e Robson Ricci (Republicanos).

O vereador Celso Peixão (MDB) não votou. Renato Pupo (PSDB), Rossini Diniz (PL) e João Paulo Rillo (Psol) foram contra a aprovação do requerimento.

Na sessão do dia 13 de abril, Anderson Branco parabenizou o padre pela “coragem que ele teve de abordar a situação que está acontecendo em nosso País”, comparando-o outros líderes religiosos, como o pastor Silas Malafaia. Nesta terça, voltou a tecer elogios aos religiosos. “Faria de novo e faria várias vezes para padres e pastores de Rio Preto”, disse.