Categorias
Liturgia

Bispo alerta fiéis: “Nada pode substituir o valor de uma Missa”

 

Nestes tempos de pandemia, em que a maioria dos católicos foram liberados por seus bispos de cumprir o preceito dominical, muitos fiéis se acostumaram a substituir a missa pela oração do terço, momentos de oração, adoração ou mesmo assistir missas no conforto de suas casas pela TV.

A grande maioria dos católicos aparentam não estar preocupados, com a ausência das Santa Missa uma vez que mesmo antes da pandemia as pesquisas já mostravam que apenas 5% dos católicos buscavam cumprir preceito dominical.

Tudo isso é reflexo de uma catequese superficial e uma doutrina diluída pelo relativismo e o politicamente correto que surgiram com o modernismo dentro da Igreja.

Com base neste contexto, em que muitos católicos desconhecem o próprio credo, que viemos lembrar a importância da Santa missa, em um fato que aconteceu com Dom Marcony Vinícius Ferreira, Bispo Auxiliar de Brasília.

Leia abaixo:

“Nada substitui uma Missa! 1000 ave marias, não sei quantos terços, adoração ao Santíssimo… Nada substitui uma única Missa.

Durante a Missa, o Santíssimo não deve estar exposto. E se o Padre fizer? Então o Padre está errado! Mas não desobedeçam seus párocos.

Certa vez, na Catedral, o pessoal do cerco de Jericó estava fazendo uma adoração. Seriam 7 dias de adoração perpétua.

Quando fui retirar o Santíssimo para começar a celebrar (a Missa), uma senhora entrou na minha frente e disse: Não, Dom Marcony! Se não forem 7 dias sem parar as muralhas não cairão.

Então eu disse a ela: “minha senhora, se a senhora não sair da frente a unica coisa que vai cair é você. Nada substitui uma Missa!”

Vejamos o que nos ensinam os santos

São Padre Pio de Pietrelcina:

“Se todos soubessem o valor da Santa Missa, seria preciso guardas nas portas das Igrejas. Guardas nas portas, para proteger o nosso maior tesouro que é a Eucaristia.”

São Leonardo de Porto Maurício:

“Se não houvesse o Sol, que seria da Terra? Oh! Tudo seria trevas, horror, esterilidade e desolação. E se o Mundo não tivesse a Santa Missa, que seria de nós?

Que tesouro imenso! Que mina de inestimáveis riquezas possuímos na Igreja de DEUS! Felizes de nós se pudéssemos assistir devotamente a todas as Santas Missas! Que capital de méritos amontoaríamos! Que abundância de graças nesta vida, e que grau de glória na outra nos proporcionará a devota e amorosa assistência a tantas Santas Missas!

Conta-se de uma santa alma que, totalmente abrasada de Amor a DEUS, traduzia em mil desejos o ardor de sua ternura: “Ah! meu DEUS”, dizia ela, “quisera ter tantos corações e tantas línguas como há de folhas em todas as árvores, de átomos no ar e de gotas d´água no oceano, para vos amar e louvar como mereceis. Oh! Se eu os tivesse em meu poder e todos se consumissem de amor por vós, contanto que eu vos amasse mais que todas juntas, mais que todos os Anjos, os Santos e todo o Paraíso!” – Certo dia em que tal desejo se repetia com mais fervor do que nunca, ouviu ela o SENHOR responder-lhe: “Consola-te, minha filha, pois com uma só Missa da qual participas com devoção, dás-me toda esta Glória que me desejas, e ainda mais, infinitamente”.

Deixai, aqui, empolgar-vos de admiração, e reconhecei que é absolutamente verdade dizer que, ao assistirmos com devoção à Santa Missa, damos a DEUS mais glória do que lhe dão, com suas adorações, todos os Anjos e todos os Santos juntos: pois, definitivamente, eles são apenas simples criaturas e, portanto, suas homenagens são limitadas e curtas. Na Santa Missa, porém, JESUS se aniquila, e esta Humilhação é de valor e mérito infinitos.

Afirmo-vos que podeis alimentar a doce esperança de alcançar diretamente o Paraíso, sem passar pelo Purgatório. À Santa Missa, portanto, à Santa Missa! E que jamais se ouça de vossos lábios esta palavra escandalosa: “Uma Missa a mais, uma Missa a menos, não tem importância…”.