Categorias
Mundo Notícias

Em tempos de crise, paróquia leva a comunhão às pessoas

Comunhão na porta da frente ou na cerca do jardim em vez de na igreja? “Se as pessoas não podem vir até nós na Igreja, nós iremos a eles!” Esse é o lema da campanha do padre Michael Hirmer na paróquia do Sagrado Coração de Teublitz (distrito Schwandorf) na diocese de Regensburg, Alemanha.

O padre Hirmer e o padre John Mathew percorrerão as ruas de Teublitz em uma pequena procissão nos próximos quatro domingos, a partir das 10h. “Pedimos aos fiéis que fiquem de pé nas janelas e portas de suas casas e orem quando passarmos e abençoá-los.”

A comunhão na cerca do jardim ou na porta da frente também deve ser feita sob condições particularmente higiênicas, desde que isso seja sinalizado pelos moradores da casa.

A campanha também despertou entusiasmo nas mídias sociais: o teólogo Ulrich Lehner, que ensina nos EUA e conhece o pastor pessoalmente, compartilhou a mensagem no Twitter.

A paróquia do Alto Palatinado quer estar próxima dos fiéis, mesmo nos tempos difíceis da crise de Corona, afirma no site da comunidade. O pastor Hirmer chama esse cuidado pastoral de “O Senhor está com você!”.

” Todo domingo, alguns voluntários, o padre John e eu vamos com o Santíssimo Sacramento e a Comunhão pelas ruas de Teublitz e Saltendorf. Vamos orar pelas pessoas nas casas e abençoá-las com o Santíssimo Sacramento”.

“No momento, apenas podemos celebrar nossos cultos em frente à câmera”, explica o pastor Michael Hirmer, o histórico de sua ação, que ele copiou de um colega italiano. 

O padre John Mathew não acha estranho o fato de todos os cultos continuarem sendo celebrados em Teublitz. “As pessoas não podem vir, mas oramos e comemoramos por elas”, e ele acrescenta com um sorriso:

“O pastor Hirmer e eu estamos celebrando os cultos particularmente solenemente em casal. Informe as pessoas de que estamos orando por eles e celebrando a missa por eles”.

Além disso, os responsáveis ​​pela paróquia de Teublitz utilizaram todas as possibilidades da comunicação moderna. O pastor Hirmer enfatiza:  “É importante que todos fiquemos unidos agora, não nos deixemos enganar e, acima de tudo, oremos um pelo outro”.