Categorias
Análise e Opinião

“É necessário ralar muito para entender o que é ser católico” alerta sacerdote

“O tempo me fez entender que catolicismo não se faz da noite para o dia. Conversão é você sair do mundo. Santificação é o mundo sair de você”

O pe. Gabriel Vila Verde postou em seu Facebook:

No meu tempo de leigo missionário, eu ficava ‘catando’ testemunhos de conversão. A internet facilitava essa busca. Inclusive, cheguei a “contratar” algumas pessoas para pregar na minha região, dando esses testemunhos. Pura ingenuidade minha!

O tempo me fez entender que catolicismo não se faz da noite para o dia. É necessário ralar muito para entender o que é ser católico. Certa vez, li uma frase que me provocou: “Conversão é você sair do mundo. Santificação é o mundo sair de você“.

Eu, que sou Padre, nascido em berço católico e que nunca me vi longe da Igreja, ainda preciso conhecer (e viver) muito sobre a minha fé. É perigoso anunciar a catolicidade de alguém que ontem era pastor e agora reza o Terço. O tempo dirá. O tempo provará. Se a Igreja espera 8 anos para ordenar um Padre, por que temos tanta pressa em colocar um microfone na mão de quem foi batizado ontem? Acolhamos com amor todos os que retornam à casa, mas tenhamos a delicadeza de esperar o término do jantar para perguntar se eles gostaram do tempero.

“Muitos católicos estão perdidos por falta de doutrina”

“Sabem de tudo, menos do essencial”

O pe. Gabriel Vila Verde compartilhou na sua página do Facebook a seguinte reflexão:

Já no Antigo Testamento, Deus falava pela boca do profeta Oseias: “O meu povo se perde por falta de conhecimento“.

Esta palavra, como toda Palavra de Deus, é viva e atual. Hoje, muitos católicos estão perdidos por falta de doutrina. Sabem de tudo, menos do essencial.

Muitos não sabem o que é o Santíssimo Sacramento e por isso não fazem a sua adoração, nem na Missa, nem diante do Sacrário. Não sabem fazer uma Confissão, e, quando fazem, contam seus problemas e não os seus pecados. Não sabem o significado das imagens, da veneração à Nossa Senhora, e, por isso, caem facilmente na lábia dos protestantes. Não sabem o que é Céu, Inferno e Purgatório, e por isso acreditam em reencarnação e gostam de ler sobre Chico Xavier. Não sabem que faltar a Missa aos domingos é pecado mortal, e, por isso, só vão à igreja em ocasiões especiais. É por toda essa situação que a Igreja padece tanto. O remédio, na minha humilde opinião, é simples e objetivo: uma colher de catequese, uma caixa de doutrina e algumas gotinhas de Fé.

“Se eu não sou um católico convicto, serei um bobo”

“É preciso gravar no coração e na mente, como uma brasa viva, a certeza de que a Igreja foi fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo”

O pe. Gabriel Vila Verde publicou no Facebook uma aberta profissão de fé na Igreja Católica, afirmando:

Para ser um bom católico, um bom padre, uma boa freira, um bom leigo, é preciso gravar no coração e na mente, como uma brasa viva, a certeza de que a Igreja foi fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo, e é a única religião verdadeira, necessária para se salvar, sem medo de ser chamado de fanático, de intolerante, de medieval e tantos outros apelidos que usam para nos amedrontar. Essa era a certeza de todos os santos. É isso que está escrito na Sã Doutrina. Se não existir essa convicção, você será levado pelo relativismo, pela onda do politicamente correto. Vai respeitar todas as crenças, menos a sua. Vai agradar a todos, menos a Deus. Se eu não sou um católico convicto, serei um bobo, que diz seguir aquilo que não crê.