Categorias
Novenas

Devoção das nove primeiras sextas-feiras ao Sagrado Coração de Jesus

A primeira sexta-feira do mês é dedicada à devoção ao Sagrado Coração de Jesus. Conheça as Doze Promessas do Sagrado Coração de Jesus feitas a Santa Margarida Maria Alacoque àqueles que dedicam as nove primeiras sextas-feiras ao seu Sagrado Coração.

Santa Margarida Maria Alacoque foi uma freira simples e humilde, que desde sua infância foi favorecida por extraordinárias aparições não só de Jesus, mas também da Santíssima Trindade, de Nossa Senhora e do seu Anjo da guarda.

Durante uma das inúmeras revelações divinas que esta santa teve ao longo de sua vida, o Sagrado Coração de Jesus fez algumas promessas aos que lhe fossem devotos.

Para se obter essas graças prometidas pelo Sagrado Coração de Jesus os devotos devem:

  • comungar durante nove primeiras sextas-feiras consecutivas;
  • ter a intenção de honrar o Sagrado Coração de Jesus e alcançar a perseverança final;
  • e oferecer cada Comunhão como um ato de expiação pelas ofensas cometidas contra o Santíssimo Sacramento.

Conheça as doze promessas do Sagrado Coração de Jesus:

1ª Promessa
“A minha bênção permanecerá sobre as casas em que se achar exposta e venerada a imagem de meu Sagrado Coração”;

2ª Promessa
“Eu darei aos devotos de meu Coração todas as graças necessárias a seu estado”;

3ª Promessa
“Estabelecerei e conservarei a paz em suas famílias”;

4ª Promessa
“Eu os consolarei em todas as suas aflições”;

5ª Promessa
“Serei refúgio seguro na vida e principalmente na hora da morte”;

6ª Promessa
“Lançarei bênçãos abundantes sobre os seus trabalhos e empreendimentos”;

7ª Promessa
“Os pecadores encontrarão em meu Coração fonte inesgotável de misericórdias”;

8ª Promessa
“As almas tíbias tornar-se-ão fervorosas pela prática dessa devoção”;

9ª Promessa
“As almas fervorosas subirão em pouco tempo a uma alta perfeição”;

10ª Promessa
“Darei aos sacerdotes que praticarem especialmente essa devoção o poder de tocar os corações mais endurecidos”;

11ª Promessa
“As pessoas que propagarem esta devoção terão o seu nome inscrito para sempre no meu Coração”;

12ª Promessa
“A todos os que comunguem nas primeiras sextas-feiras de nove meses consecutivos, darei a graça da perseverança final e da salvação eterna”.

Oração ao Sagrado Coração de Jesus

Meu Sagrado Coração de Jesus, corro e venho a Vós, porque sois o meu único refúgio, o meu único consolo, a minha única certeza, a minha única e firme esperança. Vós sois o remédio infalível e seguro para todos os meus males, a esperança para as minhas misérias, o reparo das minhas faltas, a luz nas minhas dúvidas e agonias, o consolo do meu desamparo. Vós preencheis as minhas lacunas e sois a certeza nos meus pedidos. Vós sois a infalível e infinita Fonte de luz e força, de benção e de paz. 

Estou seguro de que nunca, nunca vos cansareis de mim, de que nunca me abandonareis, de que nunca deixareis de me amar, ajudando-me e protegendo-me sempre, porque o amor de Vosso Coração por mim é infinito e absoluto. 

Tende piedade de mim, Senhor, pela vossa grande misericórdia, e fazei comigo, de mim e para mim, tudo o quanto quiserdes, mantendo-me sempre e para sempre dentro de Vosso Coração de Amor. Abandono-me em Vós, Coração do meu Amor, com toda e a inteira confiança de que nunca me abandonareis, de que nunca estarei só.

Amém. (EPC)

Leia também
Como fazer a Consagração ao Sagrado Coração de Jesus

Apostolado da Oração

A primeira sexta-feira do mês é dedicada à devoção ao Sagrado Coração de Jesus. Através da devoção do Apostolado de oração, reza-se nas intenções mensais de oração do Papa. Fundada em 3 de dezembro de 1844, na França, pelo sacerdote jesuíta Francisco Xavier Gautrelet, a rede é conhecida como “Apostolado da Oração”.

História do Apostolado da Oração

O apostolado de oração é uma rede mundial de oração a serviço dos desafios da humanidade e da missão da Igreja.  Para a coordenação arquidiocesana do Apostolado de oração, “rezar por estas intenções abre-nos os olhos e o coração à dimensão do mundo, fazendo nossas as alegrias e esperanças, as dores e os sofrimentos de todos os nossos irmãos e irmãs.”

Origem

O Apostolado da Oração teve origem numa casa de estudo da Companhia de Jesus, em França (Vals, perto de Le Puy), na festa de S. Francisco Xavier do ano de 1844. Naquela ocasião, o Padre Espiritual do Colégio – P. Francisco Xavier Gautrelet – fez uma conferência aos estudantes, em que explicou como podiam eficazmente satisfazer o desejo de colaborar com os que trabalhavam nos vários campos de apostolado para a salvação dos homens. Podiam fazê-lo, sem interromper o seu trabalho principal, que era o estudo, oferecendo com fim apostólico as suas orações, os seus sacrifícios e trabalhos.

As ideias propostas pelo P. Gautrelet, que constituem o fundamento do Apostolado da Oração, foram recebidas com entusiasmo pelos estudantes e divulgadas primeiro nas terras vizinhas do colégio e depois em toda a França. Para difundir estas ideias, o próprio P. Gautrelet propôs uma pequena organização com o nome precisamente de «Apostolado da Oração», que teve a aprovação do Bispo de Le Puy e, em 1849, alcançou as primeiras indulgências do Papa Pio IX.

Desenvolvimento

A divulgação propriamente dita do Apostolado da Oração deve-se principalmente ao P. Henrique Ramière, também ele da Companhia de Jesus, que deve considerar-se o verdadeiro fundador, divulgador e organizador do Apostolado da Oração no mundo. O P. Ramière, por meio de numerosos escritos, em que soube harmonicamente unir a simplicidade de expressão e a profundidade de pensamento teológico, propagou o Apostolado da Oração em todas as classes de pessoas e a todos os níveis, e deu à Obra forma definitiva e organização estável.
À morte do P. Ramière (1883), o Apostolado da Oração tinha já 35 mil centros, com mais de 13 milhões de associados nas várias partes do mundo.

O Apostolado da Oração em Portugal

O Apostolado da Oração chegou a Portugal em 1864, trazido pelo italiano P. António Marcocci. Mas o grande impulsionador foi o seu colega P. Luís Prosperi, primeiro Diretor Nacional, o qual se dedicou ardorosamente às missões populares. Uma história com altos e baixos, como é a história dos homens, mas que não tem deixado de produzir abundantes frutos. Assim o confirma a voz autorizada do Papa Pio XII, na mensagem radiofónica dirigida ao 3º Congresso Nacional do A. O., reunido em Braga (19-5-1957): «Os Anais do Apostolado da Oração são uma das mais belas páginas da história da Igreja em Portugal. E nós sabemos como, em tempos relativamente recentes, quando a propaganda autorizada do mal se propunha eliminar em duas gerações os últimos vestígios do Catolicismo, em terras lusitanas, foi o Apostolado da Oração, por testemunho dos sagrados pastores, uma das principais forças da resistência, para manter vivo o espírito cristão e o fazer vigoroso, mal a tempestade acenou a abrandar».

Na Atualidade

Em 2014, o Papa Francisco aprovou o documento de recriação do Apostolado da Oração que levou à mudança de nome deste Serviço Pontifício, para “Rede Mundial de Oração do Papa”, sendo o Apostolado da Oração um dos modos de participação nesta Rede.

No Brasil o primeiro centro foi fundado em 30 de junho de 1867 no Recife -PE na igreja de Santa Cruz, oficiada pelos padres jesuítas que haviam chegado a Pernambuco em 1865.

Com informações de GaudiumPress

Leia também
Como entronizar o Sagrado Coração de Jesus em sua casa (e no seu coração)