Categorias
Brasil

De joelhos, católicos rezam em forma de protesto contra o filme “Rogai por Nós”

 

No dia 08 de março deste ano, a Sony anunciou seu filme, The Unholy (“A Profana”, traduzido no Brasil para “Rogai por nós”), cujo qual estrearia na Sexta-feira Santa, de modo a contrastar com a sacralidade do Tríduo Pascal, porém, sem sucesso.

O filme utiliza-se de imagens de freiras sinistras, padres corruptos e infiéis, cruzes queimando e muito mais. E, no centro do enredo, há destaque para a representação da Mãe de Jesus em várias formas malignas e, de certa forma, racistas.

No entanto, na última quinta-feira (20), finalmente, houve a estreia do referido filme, causando comoção, sobretudo, na comunidade católica da região de Jundiaí, haja visto o mês de maio é dedicado à Maria. Com isso, fiéis de diversas partes da cidade, se reuniram em manifestações pacíficas.

Neste domingo (30), dezenas de fiéis cristãos, se reuniram em frente a um shopping de Jundiaí que possui o filme em cartaz, para rezar o Santo Rosário, em reparação ao ato vilipendioso proferido contra a crença na Virgem Mãe de Jesus e aos valores da fé cristã.

O ilustre Maestro e Escritor João Alves, esteve presente e descreveu o ato como “uma manifestação legítima, pedindo perdão a Deus por esse sacrilégio. Não há a intenção de revolta, o intuito é converter os descrentes e mostrar que o ser humano pode ser muito melhor do que isso que se apresenta.”

Diversas manifestações artísticas vilipendiosas contra a fé cristã, ocorreram nos últimos anos, como o Queer Museu, no Rio Grande do Sul, e a apresentação “Atos da Transfiguração”, ocorrida no Distrito Federal, durante o Prêmio Pipa.

Nós, do Folha de Jundiaí, entendemos que a diversidade e a pluralidade são fato em nossa sociedade contemporânea e devem ser respeitadas. Contudo, atos discriminatórios, agressivos ou vilipendiosos, devem ser extintos. O respeito aos valores morais e as crenças devem ser respeitados e o bom senso deve prevalecer, sempre.

Maestro e Escritor João Alves – autor do livro “Perdendo o Vestiário”. Trata o drama da educação de filhos adolescentes, pelo prisma de famílias cristãs face a sexualização e deturpação dos valores éticos e morais que ocorrem em nossa sociedade. À venda pela Editora Ases da Literatura (Portugal, EUA e Brasil).

Fonte: folhadejundiai.com.br

Leia também
Filme ‘Rogai por nós’: uma armadilha anticatólica