Categorias
Vaticano

Cardeal Burke: Papa deve demitir os bispos alemães se não renunciarem às heresias do Caminho Sinodal

Na opinião do cardeal Raymond Burke, o Papa Francisco deve demitir os bispos da Alemanha se eles não se afastarem dos erros do “caminho sinodal” da Igreja no país da Europa Central.

Por Infocatolica – Toda uma série de bispos se pronunciou a favor de mudanças na doutrina e disciplina da Igreja – por exemplo, em relação à avaliação da homossexualidade, do celibato sacerdotal ou da ordenação de mulheres – ou não têm expressamente opôs-se a tais propostas no âmbito do “Via Sinodal”.

O Santo Padre “deve chamar a atenção desses bispos e pedir-lhes que renunciem às heresias e também a posições contrárias à disciplina saudável da Igreja”, disse Burke em entrevista publicada pela Ação Católica pela Fé e Família. “E se eles não renunciarem a seus erros e se corrigirem, então você deve removê-los. Esta é a situação a que chegámos.”

“O pontífice romano, sucessor de Pedro, é por definição o princípio da unidade na Igreja”, destacou o cardeal. “É sua tarefa corrigir esses bispos. E se eles não aceitam a correção fraterna, se não aceitam sua correção hierárquica como bispos da Igreja universal, devem ser aplicadas as medidas apropriadas para que os fiéis saibam que esses bispos não os guiam na fé católica.

“Infelizmente, a confusão é causada e impulsionada por aqueles que são chamados a ser mestres da fé e pastores do rebanho com clareza e coragem”, disse Burke.

Bispos que não representam claramente o ensinamento católico, disse o cardeal, “deixam o rebanho e provam não ser pastores, mas trabalhadores assalariados que tentam adaptar o ensinamento da Igreja à visão de mundo, a uma visão de mundo secular, a uma visão de o mundo sem Deus.

O Cardeal Burke foi um dos mais de 100 signatários de uma carta aberta dirigida ao Bispo Georg Bätzing, presidente da Conferência Episcopal Alemã. Em sua carta, bispos e cardeais de todo o mundo alertaram que o Caminho Sinoda-Alemão ameaçava levar a Igreja a um beco sem saída de efeitos destrutivos.

Bätzing rejeitou as críticas, bem como as preocupações semelhantes expressas pelos bispos da Escandinávia e da Polônia.