Categorias
Mundo

Müller contra Marx: “Nunca devemos remover a cruz”

 

O ex-prefeito para a Doutrina da Fé, Cardeal Gerhard Müller, foi oportuno quando disse que nunca devemos remover a cruz, agora que o governo de nosso país está estudando derrubar a cruz mais alta da Europa, a do Vale dos Caídos.

Mas Müller, como você provavelmente deduziu, não se refere à Cruz do Vale, aquela que começou a cair quando os bispos consentiram sem um protesto tímido à profanação do túmulo de um católico. Não, Müller está dando uma dica aqui a seu compatriota e irmão no cardeal Reihard Marx, arcebispo de Munique e membro do conselho privado de Sua Santidade para a reforma da Cúria.

Foi durante o sermão da Missa na Festa da Exaltação da Cruz em Lugano, Suíça, que Müller insistiu que “nem no Monte do Templo em Jerusalém nem em qualquer outro lugar temos permissão para remover a cruz de Cristo e negar Jesus”.

A referência era clara, para o ‘Monte do Templo’, onde Marx escondeu sua cruz peitoral durante uma visita em Jerusalém em outubro de 2016.

Müller também foi manchete por intervir na campanha eleitoral presidencial dos Estados Unidos em novembro, recomendando aos telespectadores da estação de televisão EWTN que votassem “no bom protestante e não no mau católico”, em óbvia referência a Trump sobre o católico nominal Joe Biden.

Leia também:
Padre Ricardo de Barros: “A situação da Igreja na Alemanha é muito séria”