Categorias
Festas de Nossa Senhora Santo do Dia

Hoje celebramos a Festa do Santíssimo Nome de Maria

 

É com grande alegria que a Igreja celebra hoje a memória do santíssimo nome de Maria, escolhido por Deus desde toda a eternidade para significar a altíssima dignidade a que predestinara a Mãe do seu Filho unigênito. Porque, com efeito, assim como Maria foi predestinada antes de toda criatura, no mesmo decreto com que foi predestinado Cristo, assim também devia ela receber um nome antes de toda criatura, razão por que se lhe podem atribuir aquelas palavras do profeta Isaías: “O Senhor chamou-me desde o meu nascimento; ainda no seio de minha mãe, ele pronunciou meu nome” (Is 49, 1).

E como os nomes, sobretudo os definidos e impostos por Deus, não são mais do que uma brevíssima descrição da natureza ou da propriedade mais característica da coisa a que são atribuídos, não há dúvida de que, depois do santíssimo nome de Jesus, no de Maria há de manifestar-se não só a grandeza do que ela é, mas a magnificência e sabedoria insondáveis daquele que pensou e amou desde toda a eternidade. Eis por que, no correr dos séculos, incontáveis santos e teólogos deram o melhor de sua inteligência para descobrir o sentido profundo deste nome inefável, que, no parecer de alguns, é como certo sacramental que, pronunciado ou escrito, produz quase ex opere operato efeitos admiráveis na alma de quem piamente o invoca.

Assista antes de continuar a leitura:

Prova desse culto tradicional ao nome de Nossa Senhora é o conhecido hino Ave, maris stella, atribuído a Venâncio Fortunato, de inícios do séc. VII, no qual a Virgem SS. é apresentada qual um estrela luminosa, por cujo nome é desfeita a maldição iniciada com Eva: “Sumens illud ave Gabrielis ore, funda nos in pace, mutans Hevæ nomen”. Com efeito, teve início a nossa condenação com a saudação da antiga serpente, que, encontrando-a junto à árvore da ciência do bem e do mal, se dirigiu à nossa primeira mãe, Eva; instigou-a, curiosa; e, com suas mentiras, lhe instilou o veneno da desobediência.

A serpente, decerto, é um animal mudo e irracional, nem pudera, por si só, falar ou confabular com a mulher; o demônio, porém, serviu-se de sua língua como de um instrumento para falar a Eva, porque, transformado de nobilíssimo anjo em vilíssimo demônio depois da queda, o diabo não poderia tomar outro instrumento senão esta abjeta criatura, mais apropriada ao tema nefando — o pecado — de suas conversas. Do mesmo modo, teve início a nossa salvação com a saudação de Gabriel à Virgem. Entregue à meditação do Messias prometido e ardendo de amor a Deus, Maria se confiava humildemente à vontade divina, quando, de repente, aparece o anjo trazendo aquele Ave àquela por quem Deus, vencendo com uma mulher humilde o pecado de outra, soberba, destruiria os efeitos da transgressão de Eva: “Mutans Hevæ nomen”.

Que a memória deste santíssimo nome, amado por Deus, venerado por Cristo e reverenciado pelos anjos, nos encha hoje de firme confiança na bondade divina, que por meio de Maria nos deu a salvação, e na intercessão poderosíssima da Virgem, nossa Mãe, que, ao contrário de Eva, nos faz nascer para a vida da graça.

“Com todas as medulas do nosso coração, ó Maria, nós vos invocamos, como filha muito amada de Deus! É tanta a virtude e tamanha a excelência do vosso nome, que os próprios céus se alegram ao ouvi-lo, a terra se enche de gozo, os anjos festejam, tremem de horror os demônios e se turba e confunde o inferno inteiro. É pois tão grande a força do vosso nome, ó bendita Virgem Maria, que ele, só, tem o poder de penetrar admiravelmente a dureza do coração humano” (Raymundus Iordanus, Contemplde B.V.M.); tão grande, enfim, que às vezes, ao invocá-lo, alcançamos a graça mais rápido do que invocando o nome de Cristo, não por serdes maior do que ele, mas porque o Senhor, ouvindo os seus servos invocarem o vosso santíssimo nome, é movido mais facilmente, e por suave necessidade, à misericórdia e ao perdão.

Equipe Christo Nihil Praeponere

Conheça mais sobre a Festa do Santíssimo Nome de Maria

Neste dia 12 de setembro é celebrado o Santíssimo Nome de Maria. “O nome de Maria, que significa Senhora da luz, indica que Deus me encheu de sabedoria e luz, como astros brilhantes, para iluminar os céus e a terra”, disse a Virgem à Santa Matilde.

Este fato, no qual a Mãe de Deus revela o significado de seu nome para a santa, foi recolhido por São Luís Maria Grignion de Montfort, grande propagador da devoção mariana, no livro “O Segredo do Rosário”.

No Novo Testamento, foi o Evangelista Lucas quem deu o nome da donzela que seria a Mãe do Salvador: “… O nome da virgem era Maria” (Lc 1, 27).

É por isso que, desde os primeiros cristãos até nossos dias, foi honrada com toda classe de títulos, porque o “nome” representa a “pessoa”, assim como nos diz o Catecismo da Igreja Católica (2158):

“O nome de todo homem é sagrado. O nome é a imagem da pessoa. Exige respeito em sinal da dignidade do que o leva”.

Eis, então, uma das tantas razões desta importante festa, que foi instituída com o propósito de que os fiéis encomendem a Deus, através da intercessão da Santa Mãe, as necessidades da Igreja, agradeçam por seu amparo e seus inumeráveis benefícios, em especial os que recebem pelas graças e a mediação da Virgem Maria.

A celebração desta festa foi autorizada pela primeira vez em 1513, na cidade espanhola de Cuenca, de onde se estendeu por toda a Espanha. Em 1683, o Papa Inocêncio XI a admitiu na Igreja do Ocidente como ação de graças pela vitória sobre os turcos na Batalha de Viena.

Para este dia, selecionamos uma oração extraído do livro Glórias de Maria, de Santo Afonso Maria de Ligório.

Oração para invocar sempre o nome de Maria Santíssima

Grande Mãe de Deus e minha Mãe, ó Maria, é verdade que eu não sou digno de proferir o vosso nome; mas vós, que me tendes amor e desejais minha salvação, concedei-me, apesar de minha indignidade, a graça de invocar sempre em meu socorro vosso amantíssimo e poderosíssimo nome. Pois é ele o auxílio de quem vive e salvação de quem morre.

Puríssima e dulcíssima Virgem Maria, fazei que seja vosso nome de hoje em diante o alento de minha vida. Senhora, não tardeis a socorrer-me quando vos invocar. Pois, em todas as tentações que me assaltarem, em todas as necessidades que me ocorrerem, não quero deixar de chamar-vos em meu socorro, repetindo sempre:

Maria! Maria! Assim espero fazer durante a vida, assim espero fazer particularmente na hora da morte, para ir depois louvar eternamente no céu vosso querido nome, ó clemente, ó piedosa, ó doce Virgem Maria.

Via ACI Digital